Tamanho do texto

Washington - Os democratas da Câmara de Representantes dos Estados Unidos conseguiram hoje uma primeira vitória sobre a reforma sanitária, ao aprovar uma votação de procedimento por 224 votos a favor e 206 contra.

Embora a consulta era apenas de procedimento sobre as regras do debate que precederá à votação em si, essa prévia já aponta que a maioria democrata deve contar com os votos suficientes para aprovar hoje os dois projetos de lei que estruturam a histórica reforma.

Todo o grupo republicano, de 178 congressistas e mais 28 democratas votaram contra a moção.

Após superar esse empecilho, os congressistas farão duas horas de debate sobre um dos dois projetos de lei.

Ao abrir a discussão, o líder da maioria democrata na Câmara de Representantes, Steny Hoyer, declarou: "Nos encontramos perante uma opção histórica".

Assim que terminar a sessão de debate, por volta das 20h45 local (21h45 de Brasília) os congressistas votarão dois projetos de lei diferentes. Um é o já aprovado pelo Senado em dezembro, e que se receber o sinal verde da Câmara será levado para sanção do presidente Obama e posterior conversão em lei.

O outro introduz uma série de emendas à reforma proposta, para fazê-la mais ao gosto dos congressistas.

Se aprovada, será transferida nessa semana ao Senado que, segundo um acordo entre os democratas, aprovará imediatamente e sem mudanças.

Após a votação, que pode terminar à meia-noite local (1h da manhã de Brasília), o presidente Obama deve fazer uma declaração na Casa Branca.

A reforma do sistema da saúde é a grande prioridade legislativa do presidente americano, que cancelou uma viagem pelo sudeste asiático para estar presente nos últimos períodos de negociação.

A medida busca dar cobertura a cerca de 30 milhões de americanos que hoje não possuem seguro médico. EFE mv/sa

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.