Tamanho do texto

Produtos canadenses testados continham substâncias potencialmente perigosas que não estavam indicadas nos rótulos

Numerosas marcas de perfume entre as mais vendidas no Canadá contêm pelo menos dez produtos químicos secretos potencialmente perigosos para a saúde, segundo uma pesquisa da ONG Defesa Ambiental, divulgada nesta quarta-feira.
Segundo o estudo, o efeito da associação de substâncias químicas pode ir de uma simples reação alérgica à perturbação do funcionamento endócrino.

Dos 17 perfumes testados (submetidos à avaliação de um laboratório independente da Califórnia), 12 contêm ftalado de dietila, um produto associado ao desenvolvimento anormal dos órgãos genitais de bebês do sexo masculino e a anomalias no esperma dos homens adultos.

Cada produto testado possui, em média, 14 substâncias químicas secretas, componentes, estes, não indicados no rótulo devido a um vazio jurídico que permite aos fabricantes reuni-los na etiqueta "perfume".

São citados como exemplo, "Seventy Seven" da American Eagle, o pior deles, com 24 componentes. E ainda o "Halle" da atriz Halle Berry; "Quiksilver" e "Lo Glow" de Jennifer Lopez, que contêm sete substâncias capazes de perturbar o sistema endócrino, entre eles seis que imitam o estrogênio e outro com influência na glândula tireoide.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.