Tamanho do texto

Os Estados Unidos suspenderam nesta segunda-feira a medida que há 22 anos impedia a entrada no país de estrangeiros infectados com o HIV, o vírus causador da aids.

O fim do veto, anunciado em outubro de 2009 pelo presidente Barack Obama, passou a vigorar hoje, segundo o site do Departamento de Estado.

Agora, ninguém terá que dizer que é portador do HIV quando pedir um visto para entrar nos EUA. Os infectados pelo vírus também não terão que fazer exames médicos antes de viajar ao país, segundo o regulamento aprovado em 2 de novembro.

Até ontem, os soropositivos precisavam de uma autorização especial do Departamento de Saúde para entrar nos EUA.

Em 30 de outubro do ano passado, quando anunciou que liberaria a entrada de portadores de HIV no país, Obama disse que o veto de 22 anos duração se baseava "mais no medo do que nos fatos".

Ele afirmou ainda que, se os EUA querem "ser um líder global na luta contra a aids e o vírus de imunodeficiência humana (HIV)", terão "que atuar como tal".

A proibição à entrada de portadores do HIV nos EUA foi imposta em 1987, época em que os cientistas conheciam pouco a aids e o tratamento da doença era bem menos eficaz que hoje em dia.

Leia mais sobre: Aids

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.