Tamanho do texto

Dados do Ministério da Saúde revelam que entre 11 e 17 de julho não houve nenhum registro de internação pela doença

Dados preliminares do governo apontam queda no número de mortes e redução dos casos de internação por conta da gripe H1N1. Segundo o Ministério da Saúde, o monitoramento é feito desde o início de março deste ano, em todas as regiões do País. O período entre 28 de fevereiro e seis de março, correspondente à semana epidemiológica, representa o maior número de casos hospitalizados em 2010, totalizando 79. Entre 11 e 17 de julho, não houve nenhum registro de internação pela influenza H1N1.

A mesma diminuição foi observada em relação ao número de mortes: foram 11 entre 21 e 27 de fevereiro e nenhuma entre quatro e 17 de julho. Na avaliação do Ministério da Saúde, a redução é resultado direto da vacinação de 88 milhões de pessoas contra a gripe pandêmica, entre oito de março e dois de junho.

"Fizemos a maior vacinação já realizada no mundo, o que permitiu proteger as pessoas mais vulneráveis ao vírus H1N1. Vacinando os que estavam mais expostos, conseguimos reduzir drasticamente a circulação do vírus no país”, defendeu o secretário de Vigilância em Saúde do Ministério da Saúde, Gerson Penna.

Apesar do otimismo em relação aos números, o Governo afirma que manterá o monitoramento da gripe H1N1 em todo o Brasil.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.