Tamanho do texto

O reajuste anual para remédios estabelecido pela Câmara de Regulação do Mercado de Medicamentos (Cmed) será de 4,45% a 4,83% em 2010, com média de 4,60%.

O aumento, que entra em vigor a partir de 31 de março, leva em consideração a categoria do produto, tendo como base a participação dos genéricos em cada segmento, conforme anunciado hoje pelo órgão, vinculado à Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). Os novos preços devem ser aplicados em aproximadamente 18 mil itens.

No entanto, a adoção dos novos valores não é obrigatória e pode inclusive ser inferior ao proposto, destaca o Sindicato da Indústria de Produtos Farmacêuticos no Estado de São Paulo (Sindusfarma). "De fato, nos últimos anos, consumidores usufruíram preços anteriores ao reajuste, inclusive com descontos, durante meses, pois indústrias farmacêuticas e farmácias mantiveram os preços ou aplicaram aumentos inferiores aos índices autorizados", explicou a entidade, em comunicado.

Essa variação inferior ao permitido é justificada, de acordo com o Sindusfarma, pela "concorrência e por estratégias comerciais, resultando de negociações entre laboratórios, distribuidores e varejistas". O próximo reajuste entrará em vigor em março de 2011.

Saiba mais sobre saúde

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.