Tamanho do texto

Rouquidão pode ser sinal de problema nas cordas vocais. Veja dicas para proteger a voz

Uso excessivo da voz: rouquidão é sintoma de que algo não anda bem com as cordas vocais
Getty Images
Uso excessivo da voz: rouquidão é sintoma de que algo não anda bem com as cordas vocais
No cinema e na música, rouquidão costuma ser sinônimo de sensualidade – mas, em se tratando da vida real, a voz arranhada pode significar problemas.

“Assim como a voz é a expressão individual de cada pessoa, ela representa também como está a saúde dessa pessoa” explica a fonoaudióloga Susana Pimentel Giannini, do departamento de Voz da Sociedade Brasileira de Fonoaudiologia.

Leia: Trânsito, MP3 e noitadas envelhecem voz e ouvidos

O uso excessivo da voz, a poluição, a tensão do dia a dia – o corpo enrijecido aumenta a tensão na garganta e nas cordas vocais – e a convivência em ambientes onde é necessário falar mais alto para ouvir e ser ouvido são os maiores vilões da voz, diz Suzana, e podem levar a problemas mais sérios nesse importante instrumento de comunicação.

O problema mais comum é o nódulo nas cordas vocais. Nessa situação, o uso incorreto da voz gera, literalmente, um calo no local. Outro problema comum e um pouco mais grave são os pólipos vocais. São lesões benignas nas cordas vocais causadas pelo uso inadequado da voz, explica a fonoaudióloga Lígia Motta, coordenadora do Comitê de Voz Profissional da Sociedade Brasileira de Fonoaudiologia.

“Um dos sintomas mais importantes dos pólipos vocais é a alteração na voz, a rouquidão. Os pólipos dificultam a vibração das cordas vocais, fazendo com que o som seja projetado de forma alterada. Sentimos uma voz não harmônica, rugosa”, exemplifica Lígia.

Quando esses sinais se prolongam por mais de 15 dias, o indicado é procurar a ajuda de um especialista, fonoaudiólogo ou otorrinolaringologista – ou, na melhor das hipóteses, ambos os profissionais.

“Às vezes, os sintomas dos pólipos vocais são semelhantes aos sintomas de um câncer de laringe”, alerta a fonoaudióloga.

Leia: Sussurrar pode fazer mal para a voz?

Lígia ainda chama a atenção para as pessoas que trabalham com a voz, como artistas e professores: “O profissional que trabalha com a voz precisa ser orientado para que não faça mau uso dela. Ele precisa fazer exercícios vocais. Afinal, ninguém nasce com o dom da fala. É preciso saber falar.”

Saiba mais sobre pólipos vocais

O que são:
Pólipos vocais são lesões benignas nas pregas vocais, causadas pelo uso inadequado da voz.

Causas:
Uso inadequado da voz
Refluxo gastro-esofágico
Uso da voz por tempo prolongado ou em épocas inadequados, como quando se está gripado

Tratamento:
Medicamentoso ou cirúrgico, dependendo do caso
Fonoterapia, para fazer com que o paciente passe a usar a voz adequadamente

Dicas para cuidar bem da voz:

- Fale sem esforço e procure articular bem as palavras
- Mantenha uma boa postura corporal ao falar ou cantar
- Beba 2 litros de água diariamente
- Durma bem
- Tenha uma alimentação saudável, rica em frutas e proteínas
- Use roupas confortáveis
- Procure reduzir a quantidade de fala se está com gripe , crise alérgica ou em período pré-menstrual
- Evite falar por longos períodos, principalmente em ambientes ruidosos
- Evite pigarrear, gritar e dar gargalhadas exageradas
- Evite ingerir leite e derivados, bebidas gasosas e chocolate antes de utilizar a voz continuamente
- Evite ingerir álcool em excesso e não use drogas
- Cuidado ao cantar inadequadamente ou abusivamente
- Esteja atento aos primeiros sintomas de alteração vocal, como cansaço, ardor ou dor ao falar, falhas na voz, mudança de tom, pigarro e rouquidão
- No caso de problemas vocais, procure um fonoaudiólogo e um médico otorrinolaringologista

Fontes: fonoaudiólogas Lígia Motta e Susana Pimentel Giannini, e Sociedade Brasileira de Fonoaudiologia

* Colaborou, Leoleli Camargo

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.