Publicidade
Publicidade - Super banner
Minha Saúde
enhanced by Google
 

Mortalidade materna no País caiu pela metade em 10 anos, diz ONU

Entidade crê que Brasil ainda pode bater as metas do milênio até 2015

Agência Brasil* |

De 1990 a 2010, as mortes maternas caíram 51% no Brasil, passando de 120 para 56 por 100 mil nascimentos.

É o que aponta relatório da Organização Mundial da Saúde (OMS), do Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef), Fundo de População das Nações Unidas e o Banco Mundial.

Segundo o relatório, 50 países apresentaram resultados positivos para o cumprimento da Meta do Milênio das Nações Unidas relacionada à redução da mortalidade materna, entre eles o Brasil. A meta é alcançar a taxa de 35 mortes maternas para cada 100 mil nascidos vivos até 2015.

Dez países já alcançaram a meta, como a Estônia e o Vietnã, 14 tiveram progresso insuficiente e 11 não apresentaram nenhum progresso no período avaliado e correm o risco de não cumprir a meta.

Leia: Estudo americano diz que Brasil descumprirá meta do milênio

“Os dados apresentam uma tendência positiva. Existe possibilidade [de o Brasil cumprir a meta]

. São vários os progressos, mas é preciso seguir investindo na atenção pré-natal”, avalia Fernanda Lopes, representante do Programa em Saúde Reprodutiva e Direitos do Fundo de População da ONU.

Os dados mais recentes do Ministério da Saúde apresentam queda menor em comparação aos das Nações Unidas. De 1990 a 2010, a taxa caiu de 141 para 68 mortes de mulheres para 100 mil nascidos vivos, conforme a pasta divulgou em fevereiro deste ano. A queda ocorreu com mais intensidade até o início dos anos 2000. Desde então, o ritmo tem sido mais lento.

Na ocasião, o ministro da Saúde, Alexandre Padilha, disse ser viável cumprir a meta das Nações Unidas e que o foco do governo é melhorar a qualidade do atendimento para manter a tendência de queda. No primeiro semestre do ano passado, foram registradas 705 mortes maternas, ante 870 no mesmo período de 2010 – uma redução de 19%, de acordo com levantamento parcial.

Em todo mundo, 287 mil mortes maternas foram registradas em 2010, 47% menos em relação a 1990. A Índia e a Nigéria respondem por um terço dos casos, somando 96 mil mortes.

Morte materna é aquela causada por complicações durante a gestação ou até 42 dias após o fim da gravidez, quando provocada por problemas de saúde como hipertensão, desprendimento prematuro da placenta ou doenças preexistentes, a exemplo das cardíacas, do câncer e do lúpus.

* Por Carolina Pimentel

Leia tudo sobre: saúdemulhergravidezmortalidade maternametas do milênio

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG