Tamanho do texto

Pesquisa revelou também que pessoas com o sangue do tipo AB são as mais suscetíveis a doença do coração

BBC

Tipo sanguíneo: alguns são mais propensos do que outros a terem ataque cardíaco
Getty Images
Tipo sanguíneo: alguns são mais propensos do que outros a terem ataque cardíaco

Uma pesquisa realizada nos Estados Unidos sugere que pessoas que têm o sangue do tipo O são menos suscetíveis a problemas cardíacos do que quem possui sangue A, B, e AB.

Siga o iG Saúde no Twitter

O estudo, realizado por cientistas da Escola de Saúde Pública da Universidade de Harvard, em Boston, concluiu que as pessoas com o tipo sanguíneo mais raro, o AB, são as mais vulneráveis a doenças do coração .

Para estas pessoas a probabilidade de sofrer com doenças cardíacas é 23% maior do que para as pessoas com o tipo sanguíneo O.

A pesquisa também descobriu que para pessoas com sangue do tipo B o risco de doenças cardíacas aumentava em 11% e, para pessoas com sangue tipo A, o aumento era de 5%.

Os pesquisadores não sabem a razão deste aumento de probabilidades. Eles vão agora analisar como os grupos sanguíneos reagem a um estilo de vida mais saudável.

"As pessoas não podem mudar o tipo sanguíneo, mas nossas descobertas podem ajudar os médicos a compreender melhor quem tem risco de desenvolver doenças cardíacas. É bom saber qual o seu tipo sanguíneo, da mesma forma como você deveria saber seu colesterol ou pressão sanguínea", disse o professor Lu Qi, que liderou o estudo.

Leia mais:
Conheça o exame de tipagem sanguínea 
20 alimentos que reduzem o colesterol 
Dieta saudável pode neutralizar gene ligado a doença cardíaca

"Se você sabe que o risco é maior, pode reduzi-lo adotando um estilo de vida mais saudável, como se alimentar bem, praticar exercícios e não fumar."

A pesquisa foi divulgada na publicação especializada American Heart Association Journal.

'Complicado'

As descobertas dos cientistas americanos são baseadas em dois grandes estudos realizados nos Estados Unidos, um envolvendo 62.073 mulheres e outro, 27.428 pessoas adultas. Eles tinham entre 30 e 75 anos e foram acompanhados durante 20 anos.

Como a etnia das pessoas estudadas era predominantemente caucasiana, os pesquisadores afirmam que ainda não foi esclarecido se as descobertas podem ser as mesmas em outros grupos étnicos.

O grupo sanguíneo AB foi ligado à inflamações, que têm um papel importante nos danos em artérias.

Também foram encontradas provas de que o tipo sanguíneo A está associado ao colesterol ruim, o LDL, que pode bloquear as artérias.

Já as pessoas com o tipo sanguíneo O podem se beneficiar dos níveis maiores de um elemento químico que ajuda no fluxo sanguíneo e na coagulação.

No entanto, o estudo não analisou as razões dos riscos diferentes para os tipos sanguíneos distintos.

"O tipo sanguíneo é algo muito complicado, então podem existir múltiplos mecanismos influenciando (estas diferenças)", disse Lu Qi.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.