Tamanho do texto

Internação por câncer de mama na faixa etária também cresce 7,8%. Hábitos de risco e acesso ao tratamento ampliam diagnóstico da doença

Câncer de mama em mulheres jovens: alerta
Getty Images
Câncer de mama em mulheres jovens: alerta

Dados do Ministério da Saúde divulgados nesta segunda-feira (1) mostram que o número de mamografias em mulheres com menos de 50 anos aumentou 18,7% no País.

Em 2010, foram 940.382 exames realizados em pacientes da faixa-etária, já em 2012 o número passou para 1.116.324.

Saiba o que é a mamografia

Para o presidente da Sociedade Brasileira de Oncologia Clínica (SBOC), Anderson Silvestrini, o crescimento é justificado por dois fatores principais:

“Primeiro, melhorou a oferta deste procedimento na rede pública, o mais indicado para detectar o câncer de mama ”, diz Silvestrini.

“Além disso, as mulheres mais jovens também estão mais suscetíveis aos hábitos de risco que influenciam a doença, como tabagismo, obesidade e estresse. Tudo isso interfere na realização mais precoce da mamografia.”

Alerta : câncer de mama mata 40% das diagnosticadas

De acordo com as definições do Ministério da Saúde, o grupo prioritário para fazer os exames preventivos do câncer de mama é formado pelas pacientes com mais de 50 anos. Por causa da mudança hormonal e do envelhecimento das células, as mulheres mais velhas são mais numerosas nos casos de câncer de mama. Para esta parcela, o acesso à mamografia foi ampliado em 41%, passando de 726.890 em 2010 para 1.022.914 em 2012.

O estilo de vida contemporâneo, no entanto, tem feito a doença cruzar mais cedo a vida das pacientes, uma tendência mundial, segundo os especialistas. No Brasil, levantamento feito pelo iG no banco de dados do Ministério da Saúde confirma a elevação de casos. Entre 2008 e 2011, as internações motivadas por câncer de mama de pacientes com até 49 anos passaram de 15.813 para 17.010, uma elevação de 7,8% no período.

Assista:  Vídeo alerta para o câncer de mama em jovens

Por isso, as mais jovens também devem fazer mamografia quando há indicação médica. Além dos hábitos não saudáveis, a influência genética também explica o surgimento de tumores malignos mais cedo. Quem tem mãe, avó ou irmã com câncer de mama deve começar a fazer mamografia já aos 40 anos, indicam os médicos.

Filhas de pacientes podem interferir no câncer de mama

Outubro rosa

Em qualquer faixa etária, porém, as mulheres do Norte, Nordeste e interior do Centro-Oeste têm mais dificuldade para ter acesso às mamografias, reconhece o governo federal.

Isso fez com que o Ministério criasse o Programa de Mamografia Móvel. Por meio dele, os aparelhos serão levados aos locais estratégicos dos municípios, definidos pelas secretarias de saúde locais.

“Queremos chamar a atenção para a profunda desigualdade que ainda existe no acesso da qualidade ao diagnóstico e tratamento de câncer no nosso País. O Ministério da Saúde tem coordenado um conjunto de estratégias (para reverter isso)”, afirmou o ministro da Saúde, Alexandre Padilha. O projeto de mamografia itinerante foi lançado no primeiro dia de outubro, mês em que o mundo todo pede alerta para o câncer de mama.

No mesmo evento foi lançado oficialmente a campanha de 2012 do  Outubro Rosa , com a proposta de mobilizar a sociedade a falar sobre a doença e disseminar as estratégias de prevenção. Até o dia 31, diversos pontos turísticos e prédios públicos brasileiros, como o Cristo Redentor, o Pão de Açúcar e a Esplanada, entre outros, devem ser iluminados de cor-de-rosa para chamar atenção da população.

Leia a história

Mirela Janotti fez do câncer de mama uma experiência divertida
Alexandre Carvalho/ Fotoarena
Mirela Janotti fez do câncer de mama uma experiência divertida

Achei que era castigo, mas o câncer virou minha missão bem-humorada

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.