Tamanho do texto

Além do melanoma, o tipo mais agressivo, as câmaras de bronzeamento favorecem o surgimento de outros cânceres de pele, como os carcinomas

Câmara de bronzeamento: ela aumenta as chances de ocorrência de outros cânceres de pele além do melanoma
AFP / Thomas Coex
Câmara de bronzeamento: ela aumenta as chances de ocorrência de outros cânceres de pele além do melanoma

Os centros de bronzeamento, que já foram acusados de favorecer o melanoma, um câncer de pele grave, também aumentam as possibilidades de ocorrência de carcinomas cutâneos, segundo estudo publicado nesta quarta-feira.

Saiba mais sobre o melanoma na Enciclopédia da Saúde

O carcinoma cutâneo afeta a camada mais superficial da pele e é o câncer mais comum no homem. Apesar de ser um câncer que se pode curar satisfatoriamente, há casos de reincidência.

Sua incidência cresce com o aumento da expectativa de vida e as mudanças de hábitos, em particular o costume de expor-se demais ao sol.

Leia:  Bronzeamento artificial causa um em cada 20 casos de câncer de pele

Um grupo de pesquisadores americanos revisou os resultados de uma série de estudos realizados desde 1977, baseando-se em 80.000 pessoas originárias de seis países, e descobriu que havia um vínculo entre frequentar centros de bronzeamento e ter algum desses tipos de carcinoma cutâneo.

Veja: Foto comprova a importância de usar o filtro solar

Dessa forma, o risco aumenta 29% para o carcinoma basocelular , mais benigno, e 67% para o carcinoma espinocelular, o que pode dar lugar com mais frequência à metástase.

Para os pesquisadores, dirigidos por Eleni Linos, da Universidade de São Francisco, a exposição ao sol antes dos 25 anos apresenta os maiores riscos.

Aprenda a usar corretamente o filtro solar

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.