Tamanho do texto

Pesquisa aponta que doses moderadas da bebida favorecem a saúde, mas exagero anula os benefícios. Conheça as últimas pesquisas sobre o assunto

Dossiê cerveja: o lado bom da moderação e o lado péssimo do exagero
Getty Images
Dossiê cerveja: o lado bom da moderação e o lado péssimo do exagero

A cerveja, presente no happy-hour, na noitada, nas comemorações e nos almoços de domingo, pode ser benéfica à saúde, caso consumida com moderação (no máximo duas latinhas por dia).

Siga o iG Saúde no Twitter

O exagero, no entanto, anula todos os efeitos positivos creditados à bebida e amplia o risco de doenças líderes em causa de morte, como infarto , acidente vascular cerebral (AVC)  e diabetes .

Os médicos de diversos países estão empenhados em descobrir o lado terapêutico do líquido resultante da mistura de cevada, lúpulo e malte, sem esquecer de alertar a população sobre os perigos de exagerar na dose. As pesquisas mais recentes sobre o tema foram apresentadas no Simpósio Internacional de Cerveja e Saúde, realizado em Madri (Espanha) na primeira semana de novembro.

Leia os principais achados do dossiê da cerveja:

Médico ensina a incluir cerveja na dieta saudável

Como evitar a barriga de cerveja sem excluir a bebida da dieta

Saiba qual é a relação entre a cerveja e a saúde da mulher

*A repórter viajou a convite do Centro de Informação Cerveja e Saúde dos Cervejeiros da Espanha

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.