Tamanho do texto

Mapeamento do governo de São Paulo analisa infestação de insetos nas cidades e alerta que maior parte dos criadouros está dentro de casa

O Guarujá, no litoral Sul de São Paulo, é a o município com maior risco de epidemia de dengue no Estado de São Paulo, revela mapeamento divulgado nesta segunda-feira (12) pela Secretaria de Estado da Saúde.

Leia mais sobre a dengue na Enciclopédia da Saúde

A cidade, destino turístico nas férias de final de ano, apresentou o maior índice de infestação pelo mosquito transmissor da doença, o Aedes aegypti. Em segundo lugar no ranking de risco para o contágio está Araçatuba e Bauru, no interior paulista.

O estudo foi feito pelas prefeituras, realizado em mais de 200 municípios com mais de 60 mil habitantes. A inspeção foi feita em 200 mil imóveis, escolhidos de forma aleatória. São considerados locais com alto risco de infestação aquelas cidades que apresentaram índice de infestação maior do que 1% dos locais avaliados.

As análises identificaram que os depósitos com maior número de criadouros do Aedes estão dentro da casa das pessoas. Em 45,5% dos casos, os vasos, frascos com água, pratos, garrafas, pingadeiras acumulavam ovos, larvas e os mosquitos.

Outros 14,6% dos depósitos com foco do Aedes são lixo, como os recipientes plásticos, garrafas e latas, sucatas em pátios e ferros velhos e entulhos de construção.

“A participação popular é fundamental para o combate à dengue, uma vez que a maioria dos criadouros do vetor estão no interior das residências”, afirma o médico infectologista Marcos Boulos, coordenador de Controle de Doenças do Estado de São Paulo. Ele lembra que, no início de 2011, o sorotipo 4 da dengue chegou a São Paulo e, agora, circula em todas as regiões do Estado, tornando praticamente toda a população suscetível a contrair dengue.

“Ao serem infectadas com o tipo 4 do vírus da dengue, pessoas que já contraíram anteriormente um dos outros três sorotipos existentes podem apresentar formas graves da doença, como a febre hemorrágica”, diz.

Siga o iG Saúde no Twitter

Neste ano, até o momento, foram registrados 21.063 casos. O número é 76,5% inferior ao total do mesmo período em 2011, quando foram registrados 89.785 casos. Em 2010, houve 189.330 casos da doença.

Ainda de acordo com as notificações dos municípios, foram registradas 12 mortes por dengue até o mês de outubro deste ano, nos municípios de Araçatuba, Caraguatatuba, Guaratinguetá, Ibirá, Novais, Pontal, Praia Grande, Santa Rosa de Viterbo e São José do Rio Preto, além da capital paulista, com três óbitos registrados.

O ranking das cidades paulistas com mais risco de epidemia:

1. Guarujá
2. Araçatuba
3. Bauru
4. Tupã
5. Jandira
6. Ribeirão Preto
7. Catanduva
8. Leme
9. Marília
10. Barretos
11. São Sebastião
12. Assis
13. Presidente Prudente

Leia mais notícias de Saúde

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.