Tamanho do texto

Juiz determinou a realização da cirurgia baseado em parecer médico que aponta a necessidade de retirada de um tumor. Mãe quer ouvir outro especialista

BBC

Um tribunal britânico determinou nesta terça-feira que um menino de sete anos deve ser submetido a uma cirurgia para tratar de um tumor no cérebro , contrariando a vontade da mãe da criança.

O jovem Neon Roberts havia sido operado no ano passado para a retirada do tumor, e a mãe, a neozelandesa Sally, brigava na Justiça para evitar que ele fosse tratado com sessões de radioterapia.

Leia: Pequeno dicionário dos tratamentos de câncer

Sally dizia temer que esse tratamento pudesse causar danos de longo prazo na saúde do filho, como infertilidade e problemas cerebrais. Os médicos, porém, alegavam que, sem a radioterapia, a expectativa de vida de Neon seria de poucos meses.

Nesta terça, pareceres médicos entregues ao tribunal apontaram que Neon precisará de uma nova cirurgia, já que exames revelaram que uma parte residual do tumor permanece no cérebro do menino.

Neon: juiz ordenou que menino seja operado mesmo sem o consentimento da mãe
BBC
Neon: juiz ordenou que menino seja operado mesmo sem o consentimento da mãe

Um médico ouvido pelo tribunal disse que a ausência de tratamento torna "altamente provável" que Neon morra "dentro de um período relativamente curto".

Leia mais sobre os vários tipos de câncer

O juiz David Bodey, da divisão de casos familiares da Alta Corte britânica, citou evidências médicas indicando que o tumor residual de Neon tem mais de 1,5 cm quadrado. Isso significa que sua cirurgia pode ser de alto risco e que ele pode precisar de doses mais fortes de radio e quimioterapia.

Sally Roberts respondeu dizendo que gostaria de ouvir a opinião de mais especialistas "antes de seguir adiante" com o tratamento de Neon. Mas o juiz afirmou que ela não quer aceitar as evidências apresentadas pelos especialistas consultados - incluindo uma segunda opinião médica, obtida a pedido dela.

Empatia

Segundo Bodey, todos sentem empatia com a posição de Sally, mas, tratando-se de um caso de extrema urgência, não se pode contar com "o luxo do tempo" para permitir mais atrasos no tratamento de Neon. O juiz também afirmou que, no final desta semana, deve se pronunciar a respeito de outros tratamentos - inclusive radioterapia - a que o menino poderá ser submetido.

O caso de Neon ganhou contornos dramáticos em 5 de dezembro, quando Sally e o filho desapareceram e foram encontrados após uma busca policial. Sally pediu desculpas à Justiça por ter desaparecido com o filho, alegando que havia entrado em pânico. Ela afirmou também que não é "uma mãe louca" e que apenas queria o melhor para o filho.

Leia mais notícias de saúde

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.