Tamanho do texto

Levantamento do iG mostra ainda que em janeiro foram 22 internações por dia de acidentados atendidos nos hospitais do SUS

A violência no trânsito que ameaça os ciclistas está exposta nos dados de atendimento dos hospitais. Só em janeiro, segundo levantamento feito pelo iG no banco de dados virtual do Ministério da Saúde, foram registradas 700 internações de ciclistas acidentados, uma média de 22 por dia.

Perfil do ciclista acidentado

Das 700 internações registradas em janeiro, 561 eram homens e 139 eram mulheres

Gerando gráfico...
DataSUS

O caso do ciclista David Santos de Moura, que neste domingo teve o braço amputado após ser atingido por um motorista na Avenida Paulista , em São Paulo, confirma o perfil das principais vítimas deste tipo de acidente. As estatísticas mostram que 80,1% dos internados são homens e quatro em cada dez têm menos de 25 anos.

Leia mais: Motorista que atropelou ciclista é encaminhado para presídio

Desde 2008, ano em que o número de atendimentos passou a ser catalogado virtualmente, foram notificadas 44.904 internações de ciclistas vitimados no trânsito brasileiro, sendo que 1.044 não sobreviveram após dar entrada no hospital. São Paulo lidera os registros, com 16.308 atendimentos no período e 413 mortes.

Número de internações de ciclistas

Dados registrados no País de 2008 até janeiro de 2013

Gerando gráfico...
DataSUS

Os ciclistas vitimados no trânsito sofrem sequelas ortopédicas e neurológicas. De acordo com os registros do banco virtual, a média do tempo de internação dos acidentados é de cinco dias.

Paulo Tuma, cirurgião plástico especialista em reimplante do Centro de Referência em Trauma do Hospital 9 de Julho, afirma que amputações resultantes de acidentes de tráfego são mais raras, mas também estão na lista de danos a serem sanados após o atendimento emergencial. “Mesmo quando o membro não é recuperado (como foi o caso do ciclista) é necessária a atuação do cirurgião especializado para tentar preservar o osso, os nervos e pele, o que é fundamental para uma colocação de prótese posterior”, explica.



    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.