Tamanho do texto

Medicamento usado por diabéticos será produzido em fábrica a ser construída em Minas Gerais. População terá acesso ao remédio em 2017

O Ministério da Saúde anunciou nesta terça (16), em Belo Horizonte, a retomada da produção nacional de insulina, medicamento usado no controle do diabetes, doença que afeta 10 milhões de brasileiros.

Saiba mais sobre o diabetes na Enciclopédia da Saúde

Segundo dados do Ministério da Saúde, 1,1 milhão de diabéticos utilizam a insulina produzida fora do Brasil e disponibilizada gratuitamente pelo Sistema Único de Saúde (SUS). A fábrica que produzirá a medicação nacional será erguida por meio de parceria entre governo, Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), laboratório público Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) e a empresa brasileira Biomm.

Leia: Você corre risco de ter diabetes?

A produção deve começar a partir de 2015 e a população terá acesso ao medicamento em 2017. Para o governo, a fabricação nacional do medicamento – interrompida em 2001 – representa avanço não apenas na assistência, mas dá ao Brasil autonomia e reduz a vulnerabilidade do país frente a potenciais crises internacionais de produção. A Biomm produzirá 50% da insulina distribuída no SUS.

“Hoje, política industrial tem de competir no mercado global com preço, prazo e qualidade. Não é admissível que o Brasil faça substituição de importação. Este é um passo importante: unir área industrial, ciência e tecnologia, e educação para aumentar a produtividade”, acrescentou a presidenta Dilma Rousseff em cerimônia que anunciou o investimento de R$ 430 milhões na construção de fábrica em Minas Gerais.

O anúncio faz parte de uma série de medidas anunciadas na semana passada para impulsionar a indústria brasileira no setor de saúde. Ao todo, foram firmadas oito parcerias entre laboratórios públicos e privados para a produção nacional de medicamentos e equipamentos, que devem gerar economia de R$ 354 milhões em cinco anos.

Leia mais notícias de saúde

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.