Tamanho do texto

Vendidas abertamente, inclusive pela internet, muitas não tiveram a segurança testada e podem ser bem mais perigosas que as drogas tradicionais

Reuters

O forte aumento na variedade de drogas sintéticas legais, com nomes que levam os jovens a considerá-las inofensivas, é um fato alarmante do ponto de vista da saúde pública, disse a agência antidrogas da ONU nesta quarta-feira (26).

O número de novas substâncias psicoativas, comercializadas como "drogas de design" ou "baratos legais", relatadas por estados membros saltou mais de 50% em menos de três anos, chegando a 251 substâncias em meados de 2012, segundo o Escritório da ONU para Drogas e Crimes (UNODC, na sigla em inglês).

Leia mais: Droga estimulante é a segunda mais consumida no mundo

"Esse é um alarmante problema das drogas – mas as drogas são legais", disse a entidade.

"Vendidas abertamente, inclusive via Internet, as NSP (novas substâncias psicoativas), que não tiveram a segurança testada, podem ser bem mais perigosas que as drogas tradicionais."

Os nomes incluem "tempero", "miau-miau" e "sais de banho", levando os jovens a pensarem que se trata de uma diversão com poucos riscos, segundo o UNODC.

Mas "os efeitos adversos e potenciais de dependência da maioria dessas substâncias não controladas são, na melhor das hipóteses, mal compreendidas", disse a agência em uma pesquisa anual.

Nos EUA, essas substâncias parecem ter o dobro da difusão do que na União Europeia, onde a maioria dos usuários se concentra no Reino Unido, Polônia e França, segundo a pesquisa.

As NSPs podem ser produzidas com ligeiras modificações na estrutura molecular de drogas controladas, criando uma droga nova, com efeitos semelhantes, mas que burla proibições nacionais e internacionais.

Elas "estão se proliferando em um ritmo sem precedentes e constituindo desafios de saúde pública imprevistos", disse o relatório, que examina tendências da produção, tráfico e consumo. "O sistema internacional do controle de drogas está patinando, pela primeira vez, sob a velocidade e criatividade do fenômeno."

Leia mais sobre o abuso de drogas na Enciclopédia da Saúde

Em termos gerais, no entanto, o consumo global de drogas se manteve estável, segundo o relatório, referindo-se ao número de usuários com dependência ou distúrbios associados ao uso. Em 2011, o número de mortes associadas às drogas foi estimado em 211 mil.

"Enquanto o uso de drogas tradicionais, como heroína e cocaína, parece estar declinando em algumas partes do mundo, o abuso de drogas vendidas sob prescrição e o abuso de novas substâncias psicoativas está crescendo."

* Por Fredrik Dahl

Leia mais notícias de saúde

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.