Tamanho do texto

Medicina tradicional chinesa é usada atualmente na reabilitação de pacientes com AVC, ansiedade, depressão, insônia e asma

Acupuntura já é considerada um tratamento válido para uma série de males, como asma, depressão e náuseas
Divulgação
Acupuntura já é considerada um tratamento válido para uma série de males, como asma, depressão e náuseas

O uso da acupuntura é comumente associado à dor, seja a momentânea pela picada das agulhas ou para aliviar problemas crônicos. O uso das tradicional medicina chinesa com agulhas, no entanto, vai muito além disso. “Atualmente, usamos para acidentes vasculares cerebrais ( AVC ), asma , insônia , depressão , ansiedade ”, afirmou ao iG André Tsai, médico coordenador do atendimento no centro de acupuntura do Hospital das Clínicas (HC) em São Paulo. E completou : “A tese de doutorado do chefe do serviço do HC, doutor Wu Tu Hsing, foi sobre o uso da acupuntura em pacientes pós-AVC. O que os dados mostraram é que houve uma resposta positiva na sequela neurológica apesar de não haver diferença na ressonância magnética.”

Acupuntura no SUS ajuda pacientes com dores sem solução e já está até na UTI

Um uso cada vez mais comum é o uso da acupuntura combinada a medicamento anti-depressivos em pacientes deprimidos. “Com o passar do tempo conseguimos diminuir o uso dos remédios e, se o caso for leve, até tirá-lo completamente”, afirmou Tsai.

As agulhas da acupuntura quando colocadas em pontos específicos provocam um estímulo no sistema nervoso. Essa informação é então transmitida até o cérebro que libera diferentes substâncias conforme o ponto estimulado, por exemplo, a serotonina, cuja produção é estimulada em diversos medicamentos ligados ao tratamento de depressão.

Cronologia da acupuntura no Brasil

Nem todos os resultados obtidos com a acupuntura já tem explicações científicas. “Sabemos, por exemplo, que um paciente melhora da asma com acupuntura, mas os mecanismos de ação quando isso ocorre ainda não são 100% conhecidos. A acupuntura é uma ciência empírica”, explicou Tsai.

Pacientes em tratamento quimioterápico também têm se beneficiado da técnica.

A nova (já experiente) mão de obra da acupuntura

Diversos estudos mostram que seu uso 30 minutos antes da aplicação do medicamento reduz muito os efeitos colaterais de náusea e vômito. No caso de gestantes com muitos enjôos, a acupuntura também traz benefícios.

Outra vertente do uso da tradicional medicina chinesa atualmente é para pacientes geriátricos com o intuito de diminuir a chamada polifarmácia, ou seja, a grande quantidade de medicamentos tomados ao mesmo tempo. “Novamente sabemos que diminui o uso de hipertensivos e o colesterol, mas ainda não sabemos exatamente o mecanismo de ação”, afirmou Tsai.

Apesar de não ter ainda muitas das explicações técnicas, o National Institutes of Health, dos Estados Unidos, criou um consenso sobre o tema acupuntura. Ele afirma, por exemplo, que existem “(...) evidências claras de que as agulhas da acupuntura é eficaz para adultos com náusea e vômito em pós-operatório e em tratamento com quimioterapia e também, provavelmente, para náusea na gravidez ”. O consenso não é nada recente: a resolução é de 1997.

No Brasil, cada vez mais a acupuntura faz parte do dia a dia dos pacientes. Nos últimos 10 anos, a busca por ela aumentou mais de quatro vezes no SUS. “Hoje temos muita procura espontânea por parte dos pacientes e também somos indicados por colegas”, comentou Tsai.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.