Tamanho do texto

Coral Sua Voz, mantido pelo Hospital A.C. Camargo, conta com pacientes que usam prótese, laringe eletrônica ou voz esofágica

Pacientes que tiveram a laringe retirada cantam no coral Sua Voz
eduardo_martins_tarran/accamargo
Pacientes que tiveram a laringe retirada cantam no coral Sua Voz


Após um silêncio forçado de três meses, desde que fez a extração da laringe, Jair Machado de Rodrigues descobriu que não precisaria das cordas vocais para manter o gosto pelo canto. Ele canta usando uma prótese interna que faz as vezes da laringe. Visualmente, nem dá para perceber. Mas o som emitido, muito grave, mostra que aquela voz é especial e carrega as consequências de quatro décadas de fumo que lhe causaram o câncer de laringe. 

Assim como Jair, outras 11 pessoas compõem o Coral Sua Voz, mantido pelo Hospital A.C. Camargo Cancer Center. Dentre eles, há 3 tipos de timbres: as resultantes de prótese, que dão o tom grave; a esofágica - o próprio esôfago produz a voz, em vez de usar a laringe -; e a produzida pela laringe eletrônica, que causa um efeito metálico. E faz-se música.

“Todos os coralistas tiveram câncer avançado de laringe e não conseguiriam falar sem aparelhos ou reabilitação fonoaudiológica. Alguns aprendem a falar com o esôfago, que é uma capacidade absurda do corpo humano”, explica Elisabete Carrara de Angelis, diretora de fonoaudiologia do hospital.

Além do entretenimento e da amizade, participar do coral ajuda na evolução do tratamento. “A voz esofágica é bem mais grave que a voz natural e é mais limitada em graves e agudos, mas, por meio do canto, é possível ampliar essa gama tonal, o que dá mais expressividade na fala. É preciso ter agudos para expressar alegria ou tristeza, e o coral ajuda nisso”, explica Elisabete.

Maria Clara Falcucci, de 62 anos, também foi fumante e teve a laringe retirada há seis anos. Hoje é companheira de coral de Jair. Esse companheirismo do grupo é uma das coisas que ela mais valoriza.

“Nossos encontros são maravilhosos, vejo pessoas com o mesmo problema que o meu, minha autoestima fica lá em cima. Há pessoas que chegaram no coral e não falavam nada. Agora colocaram a prótese e estão ótimas”.

Assista ao vídeo do coral Sua Voz:


Leia mais notícias de saúde


    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.