Tamanho do texto

Pesquisadoras brasileiras desativaram in vitro células que provocam fibrose no fígado e leva à cirrose; compostos do cacau e da pimenta protegem o órgão dessas células

A capsaicina, substância presente em todas as pimentas e responsável pelo ardor característico do alimento, protege o fígado de lesões que levam à cirrose
Thinkstock
A capsaicina, substância presente em todas as pimentas e responsável pelo ardor característico do alimento, protege o fígado de lesões que levam à cirrose


Uma pesquisa brasileira, publicada no periódico canadense Cell Biochemistry and Biophysics , mostrou que a pimenta e o cacau podem proteger o fígado e retardar o surgimento da fibrose hepática, doença que evolui para a cirrose , condição em que é necessário que haja um transplante de fígado . O estudo foi feito no Laboratório de Biofísica Celular e Inflamação, dentro da Faculdade de Biociências da Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUC-RS).

As duas alunas de doutorado e autoras do estudo, Shanna Bittencourt e Cristina Bragança, foram orientadas pelo professor e farmacêutico bioquímico Jarbas Rodrigues de Oliveira. A pimenta usada no estudo foi a brasileiríssima dedo-de-moça, que, assim como todas as outras pimentas, contém capsaicina, a substância que confere o ardor característico desse tempero. Já o composto isolado do cacau é a catequina, uma molécula presente no fruto. E o resultado foi animador: em teoria, comer pimenta e chocolate protege o fígado das inflamações provocadas pelo excesso de bebida ou pelo vírus da hepatite C .

Oliveira explica que, quando uma pessoa bebe demais, os hepatócitos, que são células importantes do fígado, se lesionam, provocando uma inflamação. Essa inflamação ativa as chamadas células estreladas – que são células do bem quando estão 'dormindo' – mas que, quando ativadas, começam a fabricar fibras que levam à fibrose e, num estágio mais avançado, cirrose.

Leia também: Ervas são saborosas e combatem doenças

“Uma das coisas que se busca em um tratamento, antes que se chegue ao transplante, é tentar desativar as células estreladas. E nós conseguimos fazer isso in vitro , com a pimenta e o cacau”, comemora Oliveira.

O estudo mostrou cientificamente os mecanismos que desativam as células estreladas que provocam a fibrose. “O próximo passo do estudo é fazer isso em animais. Vamos ter que provocar uma cirrose em animais e avaliar”, explica.

Em teoria, portanto, quem come bastante pimenta e chocolate está protegendo o fígado, segundo Oliveira. “Quanto mais catequina tiver no chocolate, melhor é”, explica. "Estamos entusiasmados. Ao menos podemos dizer que contribuimos um pouquinho para a ciência".

Leia também: Os efeitos do chocolate na saúde

Os recursos necessários para o primeiro estudo foram financiados pelo governo brasileiro. A segunda fase da pesquisa depende de próximos alunos de doutorado que tenham interesse em pesquisar o tema.

Leia mais notícias de saúde

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.