Tamanho do texto

Rica em vitamina C e em formato de disco voador, há apenas quatro árvores remanescentes do cambuci na cidade que comemora 460 anos neste sábado

Conforme a cidade foi crescendo e se tornando cada vez mais São Paulo, o cambuci foi desaparecendo. Árvores da fruta-símbolo da cidade margeavam o ribeirão do Cambuci e do Lavapés, localizado no bairro do Cambuci, zona sul de São Paulo, que inclusive ganhou seu nome em homenagem à frutinha.

Hoje, 460 anos depois da fundação da cidade, o cenário é muito diferente. Existem apenas quatro cambucizeiros ( Campomanesia phaea ) catalogados na cidade: no largo no Cambuci, no Jardim Botânico, no pico do Jaraguá e no Largo 13.

“O fruto azedo, agridoce e de cheiro agradável era muito usado na culinária paulistana do século 19. Mas isto se perdeu conforme a cidade foi se tornando metrópole. As árvores foram desaparecendo e as receitas se perdendo”, diz o botânico Ricardo Cardim, criador do site Árvores de São Paulo.

Ironicamente, a árvore do cambuci, que está quase em extinção, se adapta muito bem à cidades. “Elas foram derrubadas, mas é uma árvore ideal para calçadas. Ela só não frutifica tão bem nestas condições de poluição e solo compactado, mas se adapta muito bem", diz. Segundo o biólogo, se não houvesse uma lei municipal que proíbe árvores frutíferas em ruas públicas, o paulistano poderia caminhar sob as sombras de cambucizeiros.

A fruta, rica em vitamina C e em formato de disco voador, como gosta de dizer Ademilson Aparecido Servidone, técnico agropecuário da Unesp de Jaboticabal, também quase acabou no Estado de São Paulo. “Nas décadas de 80 e 90, o pessoal desmatou muito aqui pelo Estado. Agora estão criando uns projetos em Natividade da Serra e em Paranapiacaba para reflorestamento com o cambuci. É árvore nativa daqui, né? Cresce rápido”, disse.

Original da Serra do Mar e da vegetação de Mata Atlântica, também é possível encontrar algumas poucas árvores do cambuci em Minas Gerais e no Parque Nacional da Serra dos Órgãos, em Teresópolis (RJ). “O centro de distribuição da espécie era aqui na cidade de São Paulo. A origem da árvore é daqui de São Paulo e o fruto foi disseminado pela Mata Atlântica por meio de pássaros e outros polinizadores”, disse Cardim.

Servidone afirma que alguns produtores chegam a vender o quilo do cambuci por cerca de 25 reais. “Os alunos aqui de Jaboticabal também gostaram desta volta do cambuci. Dá para fazer mousse, prato com carne e até cachaça de cambuci. Tem usado muito nas festas por aqui”, conta.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.