Tamanho do texto

Estudo realizado com congoleses em campo de refugiados de Uganda mostrou a diminuição significativa dos sintomas em apenas 10 dias

A prática de meditação transcendental em congoleses que vivem em campo de refugiados de Uganda mostrou-se uma importante arma contra o transtorno de estresse pós-traumático . Em apenas dez dias, um grupo formado por 11 refugiados, que viveram situações de violência como ameaça de morte, abusos e a perda de entes queridos, teve redução significativa de estresse pós-traumático.

Esperance Ndozi foi uma dos refugiados congoleses traumatizados pela guerra civil. A mulher de 35 anos e mãe de cinco crianças aprendeu meditação transcendental em meio às dificuldades do campo de refugiados. Antes de aprender a técnica, ela não conseguia encontrar alívio para as memórias de sofrimento que passou. Após uma semana da prática de 20 minutos de meditação duas vezes por dia ela conseguiu obter maior relaxamento e alívio dos sintomas de estresse pós-traumático.

"Sua mente e seu corpo relaxam. Você sente que está fora do mundo exterior. Você está apenas em seu mundo interior e pacífico. Sem negatividade. O sentimento de negatividade não vem para perto de mim neste momento", disse. Assim como os outros refugiados, ela descreveu que os sentimentos de calma e a paz cresceram ao longo dos dias.

De acordo com os pesquisadores, durante a técnica de meditação transcedental se experimenta o estado de alerta em repouso. A repetição desta experiência duas vezes por dia desenvolve no sistema nervoso a manutenção física e mental ao longo do dia. Isto ajuda a minimizar pensamentos perturbadores, dificuldades de sono e outros sintomas adversos do estresse pós-traumático.

Leia também:  Estresse encolheu cérebro de sobreviventes de tsunami no Japão

Os refugiados foram avaliados a partir do check-list de transtorno de estresse pós-traumático em civis, que classifica a gravidade do transtorno em uma escala que vai de 17 a 85. Uma pontuação abaixo de 35 significa que os sintomas diminuíram.

No início do estudo, os refugiados tinham pontuação média de 77,9. Depois de 10 dias de meditação transcendental, os resultados dos testes caíram para a média de 48, redução considerada significativa.

Três dias depois do primeiro teste, eles atingiram em média 35,3 pontos – o que significa que eles estavam próximos de não terem mais sintomas de transtorno de estresse pós-traumático.

Um estudo anterior também feito com refugiados congoleses e que envolveu 42 indivíduos descobriu que o grupo de Meditação Transcendental teve uma pontuação média abaixo de 35 em 30 dias, um nível não-sintomático, enquanto a pontuação média do grupo controle, na verdade, piorou em relação ao mesmo período.

"Este é agora o quarto estudo a mostrar uma melhora no transtorno de estresse pós-traumático a partir da técnica de meditação transcendental", disse Brian Rees, médico e coronel da reserva do exército americano. "A técnica da Meditação Transcendental é cada vez mais visto como um tratamento viável pelos militares dos EUA."

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.