Tamanho do texto

Problema atinge uma em cada 100 mulheres e resulta em infertilidade pela perda prematura da função ovariana

A principal causa de infertilidade das mulheres é provocada pela mutação de um gene. Cientistas descobriram que a causa do envelhecimento precoce dos ovários é genética e está ligada a mutação do gene STAG3, que deixa de codificar uma proteína e consequentemente compromete a produção de óvulos. O envelhecimento precoce dos ovários atinge uma em cada 100 mulheres que ficam inférteis pela perda prematura da função ovariana alguns anos antes de chegarem à menopausa.

Alberto M. Pendas, pesquisadores da Universidade de Salamanca, na Espanha, e autor do estudo, afirma que todo mundo tem o gene STAG3 e que uma fração das mulheres com envelhecimento precoce dos ovários tem a mutação. Neste caso, as mulheres são incapazes de realizar a meiose, processo de replicação celular que forma os gametas femininos.

Leia também:

Bacon, pizza e doces diminuem fertilidade masculina, diz pesquisa de Harvard

Antioxidantes podem melhorar fertilidade masculina

O estudo publicado nos periódicos científicos The New England Journal of Medicine e Human and Molecular Genetics também mostrou, pela primeira vez, que o envelhecimento precoce dos ovários e a anzoospermia, alteração que impede a produção normal de espermatozoides, são as duas faces de uma mesma doença genética.

A partir de análises de amostras do DNA de uma família consanguínea do Oriente Médio, os pesquisadores conseguiram confirmar que a mutação é encontrada nas duas cópias do gene - tanto na herdada pelo pai quanto na herdada pela mãe. As quatro mulheres da família estudada e que tinham envelhecimento precoce dos ovários apresentavam a mutação. “Os irmãos da família não afetados tinham, pelo menos, uma das duas cópias do gene STAG3 não mutado, e são férteis, demonstrando que a mutação é recessiva. Isto também foi um ponto importante da pesquisa, pois se acreditava que as mutações dominantes”, disse Pendas.

Estudos anteriores já haviam mostrado que camundongos com a mutação tinham graus diferentes de infertilidade. "A análise feita nos camundongos com deficiência em STAG3 corroborou para vermos que a causa da infertilidade feminina estava ligada ao gene STAG3, e que ela também é uma forte candidata para a causa da infertilidade masculina, já que camundongos machos com a mutação se mostraram inférteis”, disse.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.