Tamanho do texto

Não adianta sair da sala nos pênaltis nem medir a pressão no intervalo; se o coração palpitar demais, saia de frente da TV

Atenção cardiopatas: Não adianta sair da sala na hora do pênalti nem medir a pressão no intervalo
Thinkstock/Getty Images
Atenção cardiopatas: Não adianta sair da sala na hora do pênalti nem medir a pressão no intervalo

Como diz o narrador: "Haja coração!". Está chegando a hora. Logo mais o Brasil entra em campo e o coração de muita gente vai sair pela boca. Afinal, ou mandamos a Colômbia de volta para casa ou... Bom, mas antes que o juiz apite o início da partida, vale a pena cuidar para continuar vivo até a hora da comemoração!

O estresse gerado durante um jogo tem o poder de elevar a pressão arterial a níveis estratosféricos. Para quem não sofre de doenças cardiovasculares, é absolutamente normal ter hipertensão temporária em situações de ansiedade. Já quem tem o coração fraco ou com outros problemas, o resultado pode ser catastrófico: infarto agudo do miocárdio, AVC isquêmico e hemorrágico, arritmias cardíacas e até mesmo a morte.

Mas calma: quem tem problemas no coração e está em constante acompanhamento com um cardiologista tem riscos pequenos, explica Rogério de Moura, cardiologista intervencionista do Hospital Balbino do Rio de Janeiro. “Se o paciente já está sendo medicado e acompanhado por um cardiologista, não é preciso tomar medicamento extra só para os jogos”, explica.

Veja 10 sintomas do infarto:

Para aqueles cardiopatas que não visitam o cardiologista há mais de seis meses, cuidado: é melhor evitar grandes emoções durante o jogo e até mesmo não assisti-lo. “Uma pessoa que chega no consultório e me diz que tem dor no peito quando faz exercícios físicos muito provavelmente terá problemas diante de um estresse de jogo, pois o mecanismo acionado é o mesmo", explica Moura.

Nesse caso, não adianta sair da sala só na hora do pênalti ou medir a prressão arterial no intervalo. “Qualquer pessoa, seja hipertensa ou não, vai ter a pressão alterada durante uma situação de estresse", afirma o médico. “Se o paciente medir a pressão durante o jogo, isso vai gerar uma neura". Nervoso que tanto pode fazer com que a pessoa vá ao pronto-socorro sem necessidade, ou, bem pior, pode deixá-la tão desesperada e, de fato, fazê-la passar mal.

Por isso, a dica aqui é que cada um examine sua própria condição e, caso saiba que as coisas não estejam bem, mantenha distância da televisão.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.