Tamanho do texto

Treinamento visual melhora visão de jogo, foco no gol e ajuda o jogador a ter reflexos mais rápidos em campo

É curioso, mas um treinamento visual pode ajudar jogadores de futebol a serem mais ágeis em campo. Como? Exercitando o foco visual, visão periférica e concentração.

Um estudo feito pelo oftalmologista Leôncio Queiroz Neto, do Instituto Penido Burnier, com 80 jogadores da Confederação Paulista de Futebol mostrou que 36% deles não enxergam bem. “Os problemas são leves, afinal, se o jogador não enxergar bem, ele não consegue jogar e acaba ficando para trás”, explica Neto.

Enxergando bem ou não, a rapidez visual para identificar o que está acontecendo em campo é fundamental. “As seleções da Alemanha e da Espanha já fazem isso, por exemplo”, conta Neto. Mas é preciso dedicação para ter "olhos de águia". O médico explica que leva de 30 a 45 dias para o olho ficar bem treinado.

Um dos exercícios é o que melhora a visão de jogo. Ele é dividido em três fases. Na primeira, o jogador treina fora de campo: ele precisa aprimorar sua leitura dinâmica. Para isso, é esperado que, em um único golpe de vista, ele leia palavras impressas há alguns centímetros de distância. Repetindo o exercício por 45 dias, essa capacidade estará bem treinada.

Depois disso, parte-se para as embaixadinhas. Ao mesmo tempo em que o jogador controla a bola entre o joelho e pés, ele deve olhar para outro lado, sem deixar a bola cair. “Isso vai melhorar a visão periférica e a concentração do atleta na bola”, explica o oftalmologista.

A terceira parte do mesmo exercício exige que o jogador consiga, no momento de uma cobrança de escanteio, olhar para o lado oposto e ler palavras em uma tabuleta, painel ou monitor – e memorizá-las. “Isso também melhora a visão periférica e a atenção também”, diz Neto.

Reflexos rápidos

Ainda na missão de deixar o jogador com os olhos “afiados”, existe o treino de contrastes. A ideia é simples, basta colocar um desenho em um fundo com pouco contraste, como uma imagem cinza-clara em um fundo branco. O jogador deverá ficar distante da reprodução. Se a projeção está sendo feita em um monitor de 15 polegadas, ele deverá ficar afastado em cinco metros, e é desejável que ele consiga identificar a imagem em um segundo. As imagens devem ser trocadas por outras bem semelhantes e o atleta precisa conseguir perceber a diferença.

Foco na bola

Outro treino fora de campo que ajuda o jogador a ser mais ágil é a capacidade de focar na bola rapidamente. “Ajuda no foco do gol e no reconhecimento de jogadas”, explica o oftalmologista.

E é fácil, basta esticar os braços na altura do ombro e fazer sinal de positivo com os polegares. “Depois é só alternar o olhar de um polegar para o outro, da unha para o polegar”, explica o médico. “Também é possível deixar um polegar uns três centímetros à frente do outro e alternar o foco entre um e outro”, completa.

O médico explica que, sem treinar, é normal demorar até quatro segundos para conseguir o foco da visão. Depois dos treinos, no entanto, o atleta consegue em apenas um segundo. “Normalmente leva uns 30 dias”, completa.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.