Tamanho do texto

Insulina redefine ritmo biológico; quem tem dificuldade de acordar cedo, por exemplo, deve comer carboidrato no jantar

O que você come influencia o seu relógio interno, aquele que determina ritmos importantes como a hora de acordar, ir dormir e de sentir fome, por exemplo. Já era sabido que a luz solar exercia papel importante neste fator, mas um novo estudo realizado no Japão descobriu que é possível manipular o relógio biológico interno a partir da dieta.

Insulina redefine relógio biológico interno
Thinkstock/Getty Images
Insulina redefine relógio biológico interno












Cabe à insulina, hormônio secretado pelo pâncreas como resposta à alimentação, redefinir o relógio interno. "A insulina atrasa ou adianta o relógio dependendo do período em que é secretada pelo pâncreas", disse Makoto Akashi, da Universidade Yamaguchi e autor do estudo publicado no periódico científico Cell Press.

“Por isso, para pessoas que não têm facilidade de acordar cedo, ou estão em jet leg [desorientação causada por troca de fuso horário], a alimentação pode ajudar a ajustar o relógio com a vida social", explica o pesquisador.

Quem não consegue acordar cedo, por exemplo, deve consumir carboidrato no jantar. Isto porque o jantar deve ser enriquecido com ingredientes que promovam a secreção de insulina, que pode adiantar o relógio biológico, fazendo com que se acorde mais cedo. Logo, o café-da manhã deve ser pobre em carboidratos. Isso significa, reduza o paozinho.

Leia também:  Você é uma pessoa diurna ou noturna?

Já para pessoas que trabalham à noite ou que vivem alterando o turno fica difícil ajustar o relógio biológico interno. “Nestes casos, a hora de acordar, dormir e comer varia muito de um dia para o outro. O relógio biológico é algo que deve ser estável e, portanto, não é possível ajustá-lo rapidamente”, disse.

Relógio circadiano

O relógio interno biológico, também chamado de circadiano, permite a atividade máxima dos genes em momentos apropriados do dia, fazendo com que os organismos se adaptem à rotação da Terra. Porém, de acordo com pesquisadores, pessoas com descompasso entre os ritmos fisiológicos e ambientais, o chamado jet leg social, têm menor desempenho fisiológico e correm mais riscos de doença como diabetes, problemas cardiovasculares, do sono e câncer.

Os resultados do estudo, realizado em ratos e células cultivadas em laboratório, trouxeram informações importantes para evitar este descompasso.  “Para pessoas que não têm facilidade de acordar cedo, ou estão em jet leg, a alimentação pode ajudar a ajustar o relógio com a vida social. Alimentos ricos em carboidrato devem ser consumidos no jantar”, disse Makoto.

Dormir é importante: Déficit de sono tem efeito 'dramático' sobre o corpo humano

Os resultados do estudo mostraram também que o ajuste do relógio biológico interno não deve funcionar tão bem em diabéticos. “Os médicos talvez precisem considerar o efeito colateral do tratamento com insulina no relógio circadiano no cuidado do diabetes”, disse.

Makoto ressalta, no entanto, que são necessários mais estudos e testes clínicos para que se saiba mais a respeito da relação entre insulina e relógio biológico.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.