Tamanho do texto

Atual epidemia é considerada a maior do mundo em termos de casos, mortes e área atingida; 670 pessoas já morreram

BBC

O ebola é um dos vírus mais letais do mundo e a atual epidemia no oeste da África já matou mais de 670 pessoas.

Assista: Surto do ebola mata seis de cada dez infectados; saiba mais

Leia também: Nigéria entra em alerta vermelho após primeira morte por ebola

A Organização Mundial da Saúde (OMS) pediu uma "ação drástica" para conter o surto, considerado o maior do mundo em termos de casos, mortes e área atingida.

Não há cura conhecida para o vírus, que é altamente transmissível. Países da região anunciaram medidas emergenciais para tentar conter o surto da doença.

A atual epidemia mata seis de cada dez infectados. Veja fotos:

Entenda a doença

Ebola é uma doença viral com sintomas iniciais podem incluir febre repentina, fraqueza intensa, dores musculares e dor de garganta, de acordo com a OMS. E isso é apenas o começo: a próxima etapa é o vômito, diarreia e - em alguns casos – sangramento interno e externo, com interrupção do funcionamento dos órgãos.

Humanos pegam o vírus por meio do contato próximo com animais infectados, incluindo chimpanzés, antílopes florestais e morcegos frutíferos - estes últimos são uma iguaria na Guiné.

Em seguida, o ebola se espalha de uma pessoa para outra, por contato direto com sangue contaminado, fluidos corporais ou órgãos, ou indiretamente, através do contato com ambientes contaminados. Até mesmo os funerais das vítimas do ebola pode ser um risco, se os enlutados têm contato direto com o corpo do falecido.

O período de incubação do vírus pode durar de dois dias a três semanas, e o diagnóstico é difícil. Pessoas podem transmitir a doença enquanto o vírus permanecer em seu sangue e secreções – o que pode elevar até sete semanas depois da recuperação.

A OMS orienta evitar o contato com pacientes infectados por ebola e seus fluidos corporais. Não se deve tocar em nada que poderia ter sido contaminado, como toalhas compartilhadas.

Quem cuidar do doente deve usar luvas e equipamento de proteção, tais como máscaras, elavar as mãos regularmente. A OMS também adverte contra o consumo da carne de caça crua e qualquer contato com morcegos ou macacos.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.