Tamanho do texto

O médico Kent Brantly trabalha para uma organização cristã na Libéria; a segunda integrante da entidade, a missionária Nancy Writebol, deverá ser transportada aos EUA ainda neste sábado

O primeiro dos dois agentes norte-americanos infectados com o vírus mortal Ebola na Libéria chegou nos Estados Unidos neste sábado, onde será tratado em um hospital em Atlanta.

Um avião fretado com o doutor Kent Brantly pousou na Base Aérea Dobbins, em Marietta, na Georgia, pouco antes do meio-dia local, afirmou um porta-voz da base.

Brantly foi transferido para uma ambulância para ser levado ao Hospital da Universidade de Emory. Ele será tratado em uma unidade isolada e especialmente equipada, disse o porta-voz, tenente-coronel James Wilson.

Brantly trabalha para a organização cristã Samaritan's Purse. A segunda integrante da entidade, a missionária Nancy Writebol, deverá ser transportada em um voo mais tarde, já que o avião está equipado apenas para levar um paciente por vez.

Brantly e Writebol estavam ajudando vítimas do pior surto de Ebola na África Ocidental quando contraíram a doença. Desde fevereiro, mais de 700 pessoas já morreram na região.

Veja fotos do trabalho dos Médicos sem Fronteiras para conter o surto:

Apesar da preocupação entre alguns nos Estados Unidos sobre a transferência ao país de pacientes infectados com o vírus Ebola, as autoridades de saúde disseram que levar os agentes humanitários aos EUA não colocará a população em risco.

A unidade hospitalar, montada com ajuda do Centro de Controle e Prevenção de Doenças, é uma de apenas quatro no país capacitada para lidar com esses casos. A instalação está separada fisicamente das outras áreas de pacientes, proporcionando um elevado grau de isolamento clínico.

Entenda a doença

Ebola é uma doença viral com sintomas iniciais podem incluir febre repentina, fraqueza intensa, dores musculares e dor de garganta, de acordo com a OMS. E isso é apenas o começo: a próxima etapa é o vômito, diarreia e - em alguns casos – sangramento interno e externo, com interrupção do funcionamento dos órgãos.

Humanos pegam o vírus por meio do contato próximo com animais infectados, incluindo chimpanzés, antílopes florestais e morcegos frutíferos - estes últimos são uma iguaria na Guiné.

Em seguida, o ebola se espalha de uma pessoa para outra, por contato direto com sangue contaminado, fluidos corporais ou órgãos, ou indiretamente, através do contato com ambientes contaminados. Até mesmo os funerais das vítimas do ebola pode ser um risco, se os enlutados têm contato direto com o corpo do falecido.

O período de incubação do vírus pode durar de dois dias a três semanas, e o diagnóstico é difícil. Pessoas podem transmitir a doença enquanto o vírus permanecer em seu sangue e secreções – o que pode elevar até sete semanas depois da recuperação.

Assista: Surto do ebola mata seis de cada dez infectados; saiba mais

A OMS orienta evitar o contato com pacientes infectados por ebola e seus fluidos corporais. Não se deve tocar em nada que poderia ter sido contaminado, como toalhas compartilhadas.

Quem cuidar do doente deve usar luvas e equipamento de proteção, tais como máscaras, elavar as mãos regularmente. A OMS também adverte contra o consumo da carne de caçacrua e qualquer contato com morcegos ou macacos.

* Com agência Reuters

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.