Tamanho do texto

Apesar de incidência ser muito baixa, alguns efeitos colaterais deixam surpreso o mais calmo dos doentes; basta ler a bula

Você adoece, o médico prescreve um medicamento para te livrar do problema, você passa na farmácia, compra e toma. E sara, na maioria das vezes, sem nenhum tipo de contratempo. No caso de doenças crônicas, o uso é contínuo, mas as pessoas normalmente convivem bem com o hábito de tomar o remédio sempre nos horários indicados. Aquelas letrinhas miúdas da bula, poucos se arriscam a ler. Mas, quem vai até o fim, pode se assustar bastante.

Apesar de a chance de incidência ser muito remota, alguns efeitos colaterais são de deixar assustado o mais calmo dos doentes: amnésia, sensação de pelo na língua, compulsão por sexo e por aí vai. 

Veja abaixo os efeitos colaterais mais inusitados que alguns medicamentos podem causar. Mas sem desespero. Um medicamento só chega às prateleiras quando os benefícios dos compostos são maiores do que os malefícios que eles possam eventualmente causar.

Amoxilina – é um antibiótico comumente receitado pelos médicos e com boa aceitação. No entanto, é possível que, em menos de 0,01% das pessoas que tomam, a língua fique amarela, marrom ou preta e possa dar a sensação de que ela tem pelos.

Sifról – remédio prescrito para o tratamento de Parkinson e síndrome das pernas inquietas. Como efeitos colaterais, pode acontecer compulsão sexual, compulsão por compras, vício em jogos e também “sonhos anormais”.

Roacutan – é o famoso remédio que os adolescentes tomam quando estão com espinhas. De uso controlado, a bula diz que, em algumas pessoas, pode causar depressão, sintomas psicóticos e até mesmo levar ao suicídio.

Avandia – medicamento para diabetes tipo 2, ajuda a controlar a glicemia sanguínea. No entanto, as mulheres que não querem engravidar e não fazem uso de métodos contraceptivos devem ficar de olho: o princípio ativo do medicamento pode reiniciar uma ovulação já ausente, na fase da pré-menopausa e, claro, depois de nove meses, surgir um bebê fofinho.

Finasterida – no tão popular remédio para calvice, o tiro pode sair pela culatra: sim, ele foi concebido para devolver os cabelos rarefeitos na cabeça dos calvos ou quase calvos, mas pode fazer crescer indesejados seios em homens. Nas mulheres, a recomendação é não usar quando grávidas, principalmente de meninos. A finasterida pode causar má-formação nos órgãos genitais do bebê.

Lipitor – medicamento para controle de colesterol. O problema é que a pessoa pode até mesmo esquecer que precisa se tratar. Nas reações adversas já relatadas depois que ele passou a ser comercializado está a amnésia, ou perda de memória.

Xenical – usado para controle do peso, foi concebido pela indústria farmacêutica para impedir que 30% da gordura ingerida seja absorvida no intestino, levando ao emagrecimento. O problema é que, dentro dos efeitos adversos, é possível que aconteçam “evacuações oleosas” e “flatulência com perdas oleosas”

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.