Tamanho do texto

Apesar de simulação, Ministério da Saúde reforça informação de que risco de transmissão do vírus no Brasil é baixo

O Ministério da Saúde promove nesta sexta-feira (29) uma simulação de resposta a um eventual caso de ebola em um turista estrangeiro. O treinamento começou no Aeroporto Internacional do Rio de Janeiro/Galeão e será concluído no Instituto Nacional de Infectologia Evandro Chagas.

Entenda: O ebola pode chegar ao Brasil? Médico tira dúvidas sobre doença

O ministro da Saúde, Arthur Chioro, destacou que a simulação é feita em parceria com a Secretaria Estadual de Saúde do Rio de Janeiro e conta com a participação da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu).

OMS: Ebola não será contido em 2014; combate deve demorar de 6 a 9 meses

"Pretendemos fazer mais alguns simulados em São Paulo e em Brasília. Precisamos sempre colocar nossas equipes em situações mais parecidas com situações de emergência para ganhar qualidade e eficiência na resposta", disse. "Queremos estar absolutamente bem preparados, muito embora o risco de transmissão do ebola seja muito pequeno no nosso país", completou.

Estrutura: Atendimento de suspeita de ebola em São Paulo foi feito no susto

O secretário de Vigilância em Saúde, Jarbas Barbosa, lembrou que os países acometidos pelo surto de ebola na África ocidental já estão fazendo uma triagem de saída em passageiros internacionais, identificando sintomas como febre e impedindo que essas pessoas deixem o local. Por essa razão, segundo a pasta, o risco de transmissão no Brasil é baixo.


    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.