Tamanho do texto

Estudo mostra que a partir de marcadores biológicos é possível não só detectar a depressão como também identificar o tratamento mais indicado para cada indivíduo

O diagnóstico e tratamento da depressão em adultos ficou mais fácil. Um simples exame de sangue pode não só detectar a doença como também indicar o tratamento mais adequado para cada paciente. Pesquisadores da Universidade de Northwestern, nos Estados Unidos, conseguiram desenvolver um exame de sangue que a partir de marcadores biológicos pode mensurar o sucesso do tratamento medicamentoso e da terapia.

Brasil: 
Depressão atinge 10% da população, mas saúde pública não consegue diagnosticar

Nove marcadores servem como base para diagnóstico de depressão em adultos
AP
Nove marcadores servem como base para diagnóstico de depressão em adultos

"Este teste traz o diagnóstico de saúde mental para o século XXI e oferece a primeira abordagem da medicina personalizada para pessoas que sofrem de depressão", comemora Eva Redei, professora de psiquiatria e ciências comportamentais na Universidade Northwestern, nos Estados Unidos, e autora do estudo publicado no periódico científico Translational Psychiatry.

A depressão é normalmente diagnosticada por meio da avaliação de médicos especialistas a partir da análise do humor, comportamento e da resposta de questionários. Porém,  pesquisadores da Universidade Northwestern conseguiram desenvolver um método diagnóstico a partir da medição dos níveis de nove marcadores sanguíneos do RNA . Moléculas de RNA são uma espécie de mensageiro que interpreta o código genético DNA e realizar suas instruções.

Leia também:
Índice de transtorno de ansiedade e depressão em SP é igual a de país em guerra

O método também prevê se o indivíduo vai se beneficiar com a terapia cognitivo-comportamental com base no comportamento de alguns dos marcadores biológicos medidos no exame de sangue, indicando uma terapia mais eficaz e individualizada.

No estudo, os níveis dos marcadores biológicos apareceram alterados nos pacientes após 18 semanas de terapia, quando já não estavam mais deprimidos.

Falta prevenção:
Em dez anos, suicídio de crianças e pré-adolescentes cresceu 40% no Brasil

"Os resultados indicam que é possível um exame de sangue para a depressão, proporcionando um diagnóstico científico da mesma forma que alguém é diagnosticado com pressão arterial elevada ou colesterol elevado," disse Eva.

Anteriormente, a equipe da pesquisadora havia desenvolvido um teste semelhante para adolescentes.Os marcadores biológicos para a depressão em adolescentes e adultos não são os mesmos.

Preconceito: 'Ninguém leva minha depressão a sério'

A depressão afeta 6,7 % da população adulta dos EUA, e de acordo com especialistas a taxa está aumentando. Segundo o estudo da Universidade de Northwestern, há uma demora de dois a 40 meses para que os pacientes nos EUA conseigam o diagnóstico . Há também uma estimativa de que nos EUA 12,5 % dos pacientes em cuidados primários têm depressão, mas apenas cerca de metade dos casos são diagnosticados. No Brasil, a depressão tem a incidência na população igual ao diabetes (10%), mas apenas um terço dos pacientes são tratados. 

    Notícias Recomendadas

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.