Tamanho do texto

Quando estão fracas ou com manchas esbranquiçadas, o problema por trás disso pode estar bem longe das unhas

Crescimento lento pode indicar problemas metabólicos ou hormonais, afirma especialista
Getty Images
Crescimento lento pode indicar problemas metabólicos ou hormonais, afirma especialista

Quem troca de esmalte como de roupa muitas vezes não percebe como anda o estado das unhas. É possível perceber se estão fracas ou quebradiças, mas as manchas brancas, os tons arroxeados e ondulações por muitas vezes passam despercebidos. Mas não deveriam. Sinais como esses podem mostrar que algo está fora da normalidade na saúde do corpo.

A dermatologista Tatiana Gabbi, membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia, explica que normalmente são as doenças crônicas que se mostram pelas unhas, como os problemas renais.  "Normalmente, quando isso acontece, a pessoa já sabe que tem algum problema de saúde”, diz. 

A nutricionista do Hospital Beneficência Portuguesa, Mirian Martinez, explica que a carência de vitaminas também reflete nas unhas. “A falta de vitamina costuma refletir nas células de multiplicação rápida, como unhas, pele e cabelo”, comenta. “E unhas fracas não mostram só ausência de cálcio, como muitos acreditam, pode sinalizar carência de outras vitaminas também"

Atenção: Roer as unhas é perigoso para a saúde

A recomendação principal quando há algo de errado com as unhas é procurar um dermatologista para verificar se o problema é externo, como o contato com produtos químicos ou o excesso de uso de esmalte. Afastando essas causas, o médico vai pedir exames para verificar o que há de errado.

Unhas fracas: A falta de ferro e selênio no organismo deixa as unhas frágeis. Carência de zinco também deixa as unhas quebradiças e com manchas esbranquiçadas.

Unhas com ondulações:  Aquele “degrau” que se forma na unha é um sinal de que ela parou de crescer por um período. “É mais comum em pessoas com câncer, por causa da quimioterapia”, explica ela. Em alguns casos, ela aponta, a unha chega mesmo a cair ou a apresentar uma infecção grave. Outros casos estão em febres prolongadas, principalmente em crianças e idosos.

Unhas arroxeadas: elas refletem a saúde cardíaca e circulatória, portanto procurar um médico é fundamental para afastar esses riscos.

Unhas com crescimento lento: O clínico geral e geriatra do Hospital das Clínicas de São Paulo, Paulo Camiz, explica que problemas hormonais e metabólicos, com o diabetes, pode fazer com que as unhas cresçam mais lentamente. Verificar por meio de exames é a melhor saída.

Unhas quebradiças: mais uma vez a carência de vitaminas no corpo pode estar envolvida nisso. A nutricionista recomenda a consulta de um médico para um exame de sangue que verifique a situação das vitaminas no organismo. Se a carência estiver muito grande, é bom tomar suplementação. “Só se suplementa quando a deficiência é grande demais e tem uma patologia associada, como um problema renal que impede a metabolização de alguns nutrientes, e a ingestão oral não será suficiente”.

Nos outros casos, uma boa alimentação fará toda a diferença, além de proporcionar uma boa qualidade de vida.

Veja alimentos que contêm antioxidantes e, portanto, ajudam o corpo a funcionar bem, inclusive as unhas:

Leia mais notícias de saúde

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.