Tamanho do texto

Segundo o ministro da Saúde, o paciente está subfebril e não apresenta hemorragia, vômitos ou quaisquer outros sintomas

Agência Brasil

Africano da Guiné Souleymane Bah, de 47 anos, suspeito de infecção por ebola
Divulgação/Polícia Federal
Africano da Guiné Souleymane Bah, de 47 anos, suspeito de infecção por ebola

O resultado do exame que vai indicar se o africano Souleymane Bah, de 47 anos, está infectado com o ebola vai sair na manhã deste sábado. Nesta sexta, o homem, procedente da Guiné – um dos países atingidos pelo surto – foi transferido de Cascavel, no interior do Paraná, para o Instituto Nacional de Infectologia Evandro Chagas no Rio de Janeiro, referência nacional para casos de ebola. 

Uma ambulância do Serviço de Assistência Móvel de Urgência (Samu) e uma equipe do Corpo de Bombeiros acompanharam o paciente da Base Aérea do Galeão, na Ilha do Governador, até a unidade de saúde.

Em entrevista coletiva, o ministro da Saúde, Arthur Chioro afirmou: "O paciente está subfebril e não apresenta hemorragia, vômitos ou quaisquer outros sintomas. Está em bom estado geral e, mantido em isolamento total.”

O ministro também afirmou que é necessário confirmar o resultado do exame em dois laboratórios. "Mesmo se esse resultado der negativo, será colhida em 48 horas uma segunda amostra para análise", disse.

De acordo com o professor especializado em doenças infecciosas da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), Edimilson Migowiski, embora o paciente não apresente todos os sinais de contágio da doença, o isolamento é necessário para evitar que a doença se espalhe pelo país. “Frente a elevada letalidade do ebola, tem que se pecar pelo excesso. Se o paciente veio de uma área com circulação do vírus e chega aqui, mesmo que seja com sinal brando, com febre baixa e quadro clínico não tão exuberante quanto o ebola costuma manifestar, ainda assim, acho que todo o rigor deve ser feito, no sentido de limitar o contato desse paciente com outras pessoas e mantê-lo isolado até que o diagnóstico seja confirmado ou descartado", informou. 

Paraná investiga suspeita de ebola

O homem suspeito de infecção pelo vírus ebola chegou recentemente da Guiné, um dos três países que concentram, o surto da doença na África, juntamente com a Libéria e Serra Leoa, onde estão concentrado o foco da doença.

O africano Souleymane Bah, que é comerciante, nasceu no dia 1º de janeiro de 1967, tem o 1º grau completo e, de acordo com documento do Ministério da Justiça, fez o pedido de entrada no Brasil no dia 23 de setembro deste ano. Ele saiu da Guiné, passou por Marrocos, pela Argentina e de lá entrou no Brasil com destino a Cascavel.

Veja imagens do transporte de paciente pra o Rio de Janeiro: 

A Secretaria Estadual de Saúde do Rio informou que o Rio de Janeiro está trabalhando de acordo com determinações do Ministério da Saúde para manter as unidades de saúde em alerta para a possível identificação de sintomas relacionados ao vírus ebola. Um plano de contingência já foi elaborado em parceria com as secretarias municipais de saúde, Corpo de Bombeiros e Fiocruz. Há equipamentos de proteção individual (EPIs) estocados para os profissionais de saúde.

Leia mais:
Morre primeiro paciente com ebola nos EUA
Risco de ebola chegar à França e ao Reino Unido ainda em outubro é alto
O ebola pode chegar ao Brasil? Médico tira dúvidas sobre doença

Em caso de suspeita de paciente com o vírus, ele será encaminhado pela unidade de emergência em que for atendido para o Instituto Nacional de Infectologia Evandro Chagas (Fiocruz), que é a unidade de saúde de referência para isolamento e início dos cuidados médicos adequados.

O ebola é uma doença de notificação compulsória imediata, que deve ser realizada pelo profissional de saúde ou pelo serviço que prestar o primeiro atendimento ao paciente, pelo meio mais rápido disponível, de acordo com a Portaria No 1.271, de 6 de junho de 2014. Todo caso suspeito deve ser notificado imediatamente às autoridades de saúde das secretarias municipais, estaduais e à Secretaria de Vigilância em Saúde do Ministério da Saúde.

O ebola é causado por um vírus e está relacionado à ocorrência de surtos de febre hemorrágica no continente africano desde 1976. Entre os sintomas estão hemorragia, vômito e febre. A doença só é transmitida por meio do contato com o sangue, tecidos ou fluidos corporais de indivíduos doentes, ou pelo contato com superfícies e objetos contaminados. O vírus é transmitido quando surgem os sintomas.

Cascavel, Paraná

A Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Cascavel (PR) que atendeu um paciente com suspeita de ebola deve ser liberada para atendimento à população às 13h de hoje (10). A informação é da prefeitura de Cascavel.

De acordo com o comunicado, uma reunião entre uma equipe do Ministério da Saúde e outros órgãos ligados à saúde, nesta manhã, decidiu pela liberação da UPA, que estava mantida em isolamento. A unidade deve passar por uma higienização total antes da reabertura.

A Secretaria Municipal de Saúde informou que a orientação do governo federal é que os pacientes que estavam em observação na UPA poderão ser liberados, de acordo com o estado de saúde. A equipe de saúde que estava de plantão e ficou isolada na unidade também será liberada. Todos serão monitorados, por 21 dias, período de incubação do vírus do ebola.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.