Tamanho do texto

Ele integrou equipe que cuidou de Thomas Duncan, que pegou o vírus na Libéria e morreu nos EUA na semana passada

BBC

Um teste preliminar realizado em um dos profissionais de saúde que atendeu uma vítima de ebola nos Estados Unidos teve resultado positivo. Segundo agências de notícias, ele passará por um novo teste para confirmação.

"Nós sabíamos que um segundo caso poderia ser uma realidade, e estávamos nos preparando para essa possibilidade", disse David Lakey, comissário do Departamento de Serviços de Saúde do Estado do Texas.

Hospital em Dallas, onde Duncan foi tratado e onde funcionário pode ter sido infectado
AP
Hospital em Dallas, onde Duncan foi tratado e onde funcionário pode ter sido infectado

O nome do profissional não foi divulgado. Ele integrou a equipe que cuidou de Thomas Duncan. Duncan contraiu o vírus na Libéria, seu país de origem, e morreu na quarta-feira.

Não foi informado se o profissional de saúde teve contato com Duncan quando os primeiros sintomas apareceram ou no período de isolamento.

Ele informou que estava com febre baixa na sexta-feira e foi isolado e testado, disseram as autoridades de saúde do Texas em nota. "Profissionais de saúde entrevistaram o paciente e estão identificando seus possíveis contatos", acrescentou o comunicado.

"As pessoas que tiveram contato com o profissional de saúde após o surgimento dos sintomas serão monitoradas com base na natureza de suas interações e o potencial de exposição ao vírus."

Histórico

O primeiro paciente diagnosticado com ebola nos EUA, Tomas Eric Duncan, em foto tirada em 2011 em um casamento em Gana
AP
O primeiro paciente diagnosticado com ebola nos EUA, Tomas Eric Duncan, em foto tirada em 2011 em um casamento em Gana

A confirmação de que Duncan tinha ebola ocorreu no dia 30 de setembro, dez dias após ele chegar aos EUA em um voo vindo de Monróvia, capital da Libéria, via Bruxelas.

Ele ficou doente poucos dias após chegar aos Estados Unidos, mas, mesmo após ir ao hospital e dizer aos médicos que tinha estado na Libéria, foi enviado para a casa com a recomendação de tomar antibióticos e analgésicos.

Depois, foi colocado em isolamento em um hospital em Dallas, no Texas. Ele morreu apesar de ter sido tratado com uma droga experimental.

Na Espanha, uma enfermeira que tratou de um padre infectado por ebola na África também contraiu a doença. Foi o primeiro caso de transmissão registrado fora do continente.

A atual epidemia de ebola, concentrada na Libéria, Guiné e Serra Leoa, já teve mais de 8.300 casos confirmados ou suspeitos e pelo menos 4.033 mortes.

Veja imagens da maior epidemia de ebola da história:



    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.