Tamanho do texto

Pela nova regra, a partir de 2015, uma só prescrição permitirá a compra do remédio de marca, genérico ou similar

Resolução da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) publicada nesta segunda (13) no Diário Oficial da União estabelece os requisitos necessários para que um medicamento similar possa substituir o de referência ou de marca.

Do tubo de ensaio às farmácias: saiba como um novo medicamento é desenvolvido

As alterações na bula devem ser feitas em um prazo de 12 meses
Thinkstock/Getty Images
As alterações na bula devem ser feitas em um prazo de 12 meses

Pela nova regra, os similares que já tenham comprovado equivalência farmacêutica com o medicamento de referência da categoria poderão declarar na bula que são substitutos dos remédios de marca.

De acordo com a Anvisa, a medida poderá ser adotada pelos fabricantes a partir de 1º de janeiro de 2015. As alterações na bula devem ser feitas em um prazo de 12 meses.

A agência informou que vai manter uma lista atualizada dos similares intercambiáveis para orientar médicos, farmacêuticos e pacientes sobre quais produtos têm equivalência já comprovada.

Genéricos X Similares: entenda a diferença entre os medicamentos

No início do ano, a Anvisa anunciou que os medicamentos similares seriam mais uma opção aos de referência ou de marca, como já ocorre com os genéricos. Isso significa que a mesma prescrição médica, que atualmente permite a compra de um remédio de marca ou de um genérico, permitirá também a aquisição do similar, que contém os mesmos princípios ativos, a mesma concentração e a mesma posologia que o de referência.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.