Tamanho do texto

Autoridades sanitárias da Espanha ainda investigam como Teresa Romero foi infectada por vírus; enfermeira usava roupa de proteção quando tratou de religioso com a doença

Reuters

Médico, vestindo roupas de proteção,  fica ao lado de paciente isolado em hospital em Madrid
AP Photo/Daniel Ochoa de Olza
Médico, vestindo roupas de proteção, fica ao lado de paciente isolado em hospital em Madrid

A enfermeira espanhola que foi a primeira pessoa contaminada pelo Ebola na Europa afirmou nesta quarta-feira que pode ter se infectado ao tocar o rosto com as luvas da roupa de proteção depois de ter atendido um religioso com a doença e repatriado da África, disse um dos médicos.

A enfermeira afirmou a seu médico que possivelmente contraiu o vírus ao retirar a roupa especial depois de atender pela primeira vez o religioso Manuel García Viejo, morto dia 25 de setembro.

Leia mais: 
Número de mortos por Ebola sobe para 4.033, diz OMS
Mundo está mal preparado para emergências sanitárias, diz diretora da OMS

"Ela me disse em três ocasiões que pode ter se infectado por ter tocado a luva no rosto", afirmou o médico Germán Ramírez a jornalistas no Hospital Carlos 3º de Madri, onde a paciente está isolada e recebendo tratamento.

Autoridades sanitárias da Espanha tentam saber como a enfermeira contraiu o vírus, uma profissional experiente que tratou duas vezes de García Viejo.

O hospital insiste que havia sempre alguém supervisionado a colocação da roupa especial para verificar um possível descuido da enfermeira.

O primeiro-ministro da Espanha, Mariano Rajoy, pediu nesta quarta que a população se tranquilize e que deixe os profissionais de saúde trabalharem. A declaração foi feita depois de mais uma enfermeira ter sido internada por precaução após a contaminação da colega com o Ebola.

As autoridades confirmaram nesta quarta que uma enfermeira que também trabalhou atendendo dois religiosos falecidos está em observação no Hospital Carlos 3º de Madri depois de apresentar uma febre persistente.

O premiê, em suas primeiras declarações desde que tomou conhecimento do caso de contágio do vírus, pediu confiança nos responsáveis pela saúde e prometeu "transparência total" na hora de oferecer informação à opinião pública.

"Neste momento o que temos que fazer é estar atentos e manter a tranquilidade", disse Rajoy durante uma sessão no Congresso em resposta à interpelação do líder socialista, Pedro Sánchez.

Rajoy afirmou que foi criado um comitê de acompanhamento para garantir a coordenação entre os responsáveis da comunidade autônoma de Madri, do governo federal e das instituições europeias, com as quais disse falar todos os dias.

"Peço que deixem os profissionais de saúde trabalharem, que confiemos neles. A saúde espanhola é uma das melhores do mundo", declarou o chefe de governo.

Os dois religiosos espanhóis contraíram o Ebola no oeste da África, foram repatriados em agosto e setembro e faleceram no hospital Carlos 3º.

A Espanha se tornou o centro das atenções da comunidade médica internacional desde a confirmação do primeiro contágio do vírus do Ebola fora do oeste africano.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.