Tamanho do texto

Trabalhador, que manteve contato com o doente, juntamente com 74 pessoas, estava em observação

Os Estados Unidos anunciaram hoje (14) o segundo caso de infecção pelo vírus ebola - de um profissional de saúde que tratou do cidadão da Libéria infectado e que acabou morrendo em território americano.

Entenda o que é o ebola e como a doença mortal se espalha

Enfermeira que contraiu ebola nos EUA diz que 'se sente bem'

De acordo com as agências internacionais, que citam os serviços de saúde do estado do Texas, o teste feito no profissional, em Dallas, foi positivo.

O trabalhador, que manteve contato com o doente, juntamente com 74 pessoas, estava em observação. Ele teve febre nessa terça-feira (13) e foi, de imediato, colocado em quarentena no Hospital Presbiteriano de Dallas, acrescentam as autoridades, em comunicado.

Morre funcionário da ONU internado com ebola na Alemanha

O Departamento de Saúde local continua a acompanhar as pessoas que tiveram contato com os dois pacientes diagnosticados no Texas, um liberiano e uma enfermeira.

O total de pessoas sob vigilância chega a 125, informou o diretor do Centro de Controle de Prevenção de Doenças dos Estados Unidos, Thomas Frieden.

Paciente que teve suspeita de ebola pede privacidade e deve receber alta logo

Por enquanto, as autoridades não sabem como ocorreu o contágio da enfermeira, por isso tomaram a decisão de controlar a temperatura dos profissionais de saúde duas vezes por dia para detectar os sintomas de ebola, o mesmo protocolo que se aplica ao resto das pessoas em risco.

Os mais recentes dados apontam para o registro de 8.917 casos de ebola, com 4.447 mortes. A Libéria, Serra Leoa e a Guiné-Conacri são os países mais afetados pelo pior surto da doença.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.