Tamanho do texto

Processamento de nutrientes e acúmulo de gordura desigual faz com homens e mulheres respondam de forma diferente; especialistas defendem dietas baseadas no sexo do paciente

Cérebros femininos e masculinos reagem de maneira muito diferente em relação a comidas gordurosas e pode-se dizer que as mulheres têm menos problemas em consumir hambúrgueres, por exemplo. Pesquisadores afirmam que uma dieta rica em gordura, apesar de engordar ambos os sexos, tem um efeito menos prejudicial para a saúde das mulheres que a dos homens. O motivo para a diferença estaria na forma como cada um processa os nutrientes.

Dieta rica em gordura é mais prejudicial para a saúde de homens que de mulheres
Thinkstock Photos
Dieta rica em gordura é mais prejudicial para a saúde de homens que de mulheres

No estudo, pesquisadores analisaram cérebros de camundongos após um período com dieta a base de 24% de gordura. “Isso equivale a uma refeição muito comum aqui nos Estados Unidos, um hambúrguer e uma Coca”, disse Deborah Clegg, do Instituto de Pesquisa sobre Diabetes e Obesidade Cedars-Sinai Medical Center, e coordenadora da pesquisa.

Entenda: A diferença entre a gordura da barriga e a dos quadris

Ela conta que ao analisar o cérebro dos animais pode perceber que enquanto o dos machos estava com muitas inflamações o das fêmeas estava normal. “Para os machos é exatamente aquela frase ’você é o que você come’. Já para as fêmeas, o cérebro estava normal. Sabemos já há algum tempo que inflamações no cérebro podem ser vistas como um prenúncio de doenças cardíacas e diabetes. Quando as doenças desaparecem, as inflamações vão junto com elas”, disse.

A descoberta significa então que os camundongos fêmeas, embora tivessem adquirido peso com a dieta gordurosa, não apresentaram problemas graves de saúde como doenças cardíacas e diabetes. “Elas ganharam peso, mas permaneceram saudáveis. O estudo foi feito em camundongos, mas acredito que o resultado seja exatamente o mesmo em humanos”.

Está acima do peso? Veja quais as técnicas para perder os quilos extras

Deborah afirma que os dados do estudo mostram que é “ok” para as mulheres comerem uma refeição gordurosa como hambúrguer e refrigerante ocasionalmente, já para homens isto não é recomendado. “Acredito que após este estudo as recomendações de dieta levem em conta o sexo”, disse.

Leia mais: Estudo liga excesso de peso a risco de dez tipos de câncer

Deborah explica que outro ponto para mulheres e camundongos fêmeas terem menos problemas é o fato de a gordura adquirida se estabelecer geralmente no quadril, pernas e braços. “Nos homens, ocorre o aumento de gordura abdominal, entre órgãos importantes fígado e até mesmo o coração. Comer muita gordura não é tão prejudicial para mulheres quanto é para os homens. Agora, se a preocupação for o ganho de peso, aí não tem jeito. É preciso restrições”, disse.

Então está tudo liberado?
O resultado da pesquisa talvez faça com que muitas mulheres decidam jantar um hambúrguer imediatamente e sem culpas. Mas, o endocrinologista Mario Kedhi Carra, alerta que é preciso cautela e controlar o peso.

“Nenhuma pessoa com excesso de peso é saudável. Embora as mulheres tenham uma distribuição da gordura mais favorável para a saúde, elas também vão ter alguma gordura abdominal, o que não é nada bom”, disse o presidente do Departamento de Obesidade da Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia (SBEM). “São diferenças pontuais e não necessariamente é uma regra”, completa.

Carra explica que estudos como estes estão fazendo com que cada vez mais especialistas entendam a obesidade como algo mais complexo. “Isto está levando cada vez mais a buscarem outras formas de avaliar a obesidade e a saúde. Antes se usava o Índice de Massa Corporal, mas sabemos que este tema é muito mais complexo”, disse

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.