Tamanho do texto

Siciliano de 50 anos contraiu a doença em Serra Leoa, quando trabalhava no atendimento de pacientes com ebola

O médico italiano infectado por ebola em Serra Leoa está curado, afirma imprensa italiana. Fabrizio Pulvirenti foi enviado para a Itália em meados de novembro, onde passou por diferentes tratamentos experimentais e estava internado em uma unidade isolada do instituto Spallanzani de Roma.

Sorridente,  Pulvirenti disse, em coletiva de imprensa nesta sexta (2), que enquanto estava gravemente doente, ele tentou analisar mentalmente seus sintomas. Ele disse também que não tem como saber o momento exato que foi infectado e que pensa em retornar para Serra Leoa.

Em dezembro, as condições do paciente começaram a melhor. Há dez dias, ele passou a respirar sem a ajuda de aparelhos, andar e se alimentar. O siciliano de 50 anos trabalhava desde outubro na ONG italiana Emergency em Lakka, Serra Leoa, onde contraiu a doença.


    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.