Tamanho do texto

Passageira viajava em voo que ia de Serra Leoa, país com surto do vírus da África Ocidental, à cidade de Nova Jersey

Agência Brasil

Uma passageira de um voo procedente de Serra Leoa, no Oeste da África, foi internada na noite de  ontem (19), em New Jersey, Estados Unidos. A passageira apresentou sintomas da doença – infecciosa no período sintomático – quando voltava para casa, depois de passar um período em Serra Leoa, onde cuidou de doentes com ebola.

Autoridades de saúde montaram um esquema para transferir a passageira do avião da empresa aérea United Airlines, do aeroporto de Newark, para um hospital. O porta-voz da empresa aérea, Luke Punzenberge, disse à imprensa que a passageira apresentou febre alta e vômitos durante o voo, e os demais passageiros permaneceram na aeronave após a aterrissagem, até que ela fosse retirada pela equipe médica.

Leia também:

Ebola já matou mais de 8,1 mil pessoas na África Ocidental
Cientistas acreditam ter descoberto origem do vírus ebola

Os passageiros do voo deixaram seus dados para que as autoridades possam manter contato e “observá-los” nas próximas três semanas. A passageira foi identificada apenas como profissional de saúde, que trabalhou em Serra Leoa. A identidade dela não foi divulgada, nem seu local de residência nos Estados Unidos.

O aeroporto de Newark é um dos cinco terminais do país que podem receber pessoas provenientes de países da África Ocidental, região em que surgiu o surto de ebola no continente africano, no início do ano passado.

A passageira foi internada no Hospital de Hackernsacak, um dos autorizados a receber pacientes com sintomas de ebola no país. Comunicado divulgado hoje (20) pelo hospital e reproduzido pelos meios de comunicação norte-americanos, diz que a paciente está em intensa observação e que todas as precauções estão sendo tomadas para "a recuperação da paciente".

Segundo o último balanço da Organização Mundial da Saúde (OMS), 21.712 casos de ebola foram registrados e 8.820 pessoas foram vitimas da doença.

Veja fotos da epidemia de ebola na África:


    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.