Tamanho do texto

Pessoal do “tá com nada” pode comer arroz, feijão, ovos, leite e goiabada; restrição de verduras e legumes provoca intestino preso e pode causar doenças crônicas a longo prazo

As pessoas da décima quinta edição do “Big Brother Brasil” (TV Globo) que estão na turma do “tá com nada” têm uma alimentação bem restrita e monótona: arroz, feijão, ovo, leite e goiabada. Mas será que isso é suficiente para manter uma boa saúde dentro da casa? A opinião de nutricionistas é unânime: não.

Segundo a nutricionista e coordenadora do curso de gastronomia do Centro Universitário IBMR, Ana Maria Gonçalves, um prato contendo três colheres (sopa) de arroz, três colheres (sopa) de feijão, três ovos fritos, dois copos de leite e dois pedaços de goiabada fornece cerca de 815 calorias.

>> 14 alimentos que favorecem o bom funcionamento do intestino:


“É um valor dentro da necessidade do dia, que, para um adulto homem com atividade física moderada fica em torno de 2200 a 2300 calorias e para mulheres entre 2000 e 2100 calorias”, diz ela. No entanto, ressalta que há uma deficiência de várias vitaminas e minerais, como vitamina A, vitamina C, folato, ferro e fibras, encontrados nos alimentos de origem vegetal, como frutas e hortaliças.

“Uma dieta monótona e repetitiva não é suficiente para suprir as vitaminas e minerais essenciais ao organismo”, diz a nutricionista Barbara Peters, da Associação Brasileira de Avaliação Óssea e Osteometabolismo.

A lista de ingredientes do
Reprodução
A lista de ingredientes do "tá com nada" inclui leite, ovos, arroz, feijão, goiabada e só

Fibras e vitaminas

“Provavelmente, em um curto período de tempo, esta dieta levará a constipação intestinal, por causa da ausência de fibras na dieta, além de deficiências nutricionais como a anemia ferropriva”, alerta Barbara.

Ana Maria comenta ainda que o consumo necessário de fibras, diariamente, é de 20g a 30g, que equivale de três a cinco porções de frutas ou vegetais.

“A principal função das fibras é o aumento do volume e do peso das fezes, o que favorece o movimento preparatório para evacuação, diminui o tempo em que as fezes ficarão no intestino e aumenta o número de evacuações”, explica. Na falta das fibras, a consequência é a prisão de ventre. 

A longo prazo, além de diversos problemas intestinais, Barbara comenta que essa dieta pode causar diferentes deficiências nutricionais e até mesmo doenças crônicas, como a osteoporose.

“Apesar de a dieta apresentar cálcio, pela presença do leite, outras vitaminas, como a vitamina D e K, e outros minerais, como o magnésio, por exemplo, também são importantes para o desenvolvimento ósseo. Essa dieta é pobre nestes nutrientes”, diz a nutricionista da Abrasso.

Leia também:
Aceitamos o desafio de fazer pratos do menu "tá com nada", do BBB 15
Prisão de ventre pode ser sintoma de diabetes e alteração da tireoide
Duas em cada três mulheres sofrem com problemas intestinais

Barbara explica que as vitaminas devem ser ingeridas diariamente: “As vitaminas solúveis em água se perdem diariamente na urina, fezes e suor, como as vitaminas C, B6, B12, biotina, ácido fólico, ácido pantotênico, niacina, riboflavina e tiamina”, diz.

Outras, no entanto, conseguem durar um pouco mais no corpo. É o caso das solúveis em gordura, vitaminas A, D, E e K. Elas apresentam uma meia-vida de aproximadamente 20 dias. No entanto, a nutricionista da Abrasso explica que dificilmente alguém vai ingerir uma quantidade excessiva de vitaminas, por meio de alimentação natural, que dure um tempo maior no organismo. A recomendação é, portanto, uma dieta equilibrada, variada, rica em frutas, verduras e vegetais.

No entanto, a turma do “tá com tudo” também não escapa ilesa quando o assunto é alimentação saudável. Segundo a nutricionista Ana Maria, exagerar nos doces, chocolates e gorduras é bem pior do que a alimentação do “tá com nada”.

“Esses alimentos devem ser consumidos moderadamente. O excesso causa prejuízos à saúde, como deficiência de nutrientes essenciais – proteína, glicídios e lipídios, além de vitaminas e minerais. Possuem o valor calórico muito alto e qualidade nutricional deficitária”, completa.

Leia também:
Sal sem sódio pode ser pior que tradicional para quem tem pressão alta
Está cansado de beber café para ter disposição? Conheça alternativas saudáveis

LEIA OUTRAS NOTÍCIAS DE ALIMENTAÇÃO E BEM-ESTAR

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.