Tamanho do texto

Pesquisa sugere que ter foco em um objetivo de vida pode reduzir o risco de doenças do coração e acidente vascular

Estudo mostra redução de 23% de morte por todas as causas e 19% menos risco de problemas cardíacos
Thinkstock/Getty Images
Estudo mostra redução de 23% de morte por todas as causas e 19% menos risco de problemas cardíacos

Ter um alto senso de propósito na vida pode reduzir o risco de morte, de doença cardíaca e de acidente vascular cerebral, de acordo com um novo estudo conduzido por pesquisadores do Mount Sinai St. Luke e do Mount Sinai Roosevelt, nos Estados Unidos. 

A análise define como “propósito de vida” um senso de significado e direção, que trazem uma sensação de que a vida vale a pena ser vivida.

Outras pesquisas já fizeram a ligação entre ter um propósito de vida com bem-estar e saúde psicológica, mas o novo estudo mostrou uma redução de 23% de morte por todas as causas e 19% menos risco de ataque cardíaco, acidente vascular e necessidade de cirurgia de revascularização do miocárdio ou procedimento de implante de stent cardíaco.

Veja também:
Conheça 11 alimentos que protegem o coração
Veja oito vilões de um coração saudável

Salvar vidas

"Desenvolver e aperfeiçoar seu senso de propósito poderia proteger a saúde do coração  e potencialmente salvar sua vida", diz o principal autor do estudo Randy Cohen, cardiologista preventivo no Monte Sinai St. Luke e Mount Sinai Roosevelt, em comunicado.

“Como parte da nossa saúde em geral, cada um de nós deve se perguntar: 'eu tenho um senso de propósito em minha vida?’. Se a resposta for negativa, você precisa trabalhar em direção à meta importante de obtenção de um objetivo para seu bem-estar geral”, afirma.

>> 11 alimentos que protegem o coração:


Os pesquisadores revisaram 10 estudos relevantes com os dados de mais de 137 mil pessoas para analisar o impacto do senso de propósito sobre as taxas de mortalidade e risco de eventos cardiovasculares. 

Alan Rozanski, coautor do estudo e diretor de programas de bem-estar no Mount Sinai Heart, explicou as implicações futuras da pesquisa: "Com base em nossos resultados, a pesquisa futura deve agora avaliar a importância de propósito de vida como determinante da saúde e do bem-estar e avaliar o impacto de estratégias destinadas a melhorar o senso de propósito de vida dos indivíduos".

Leia ainda:
Atividade física, ainda que tardia, ajuda a proteger o coração
Chocolate amargo faz bem ao coração

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.