Tamanho do texto

Movimentos de francês em como há sete anos reacendem debate sobre desligamento de aparelhos

Clique para editar o texto

Ativistas que lutam contra uma decisão da Justiça de desligar os aparelhos de um homem em estado vegetativo causaram polêmica na França ao divulgar um vídeo dele no hospital.

Nas imagens, Vincent Lambert aparece como se estivesse interagindo com familiares.

Veja o vídeo clicando no link abaixo:

Vídeo com suposta reação de homem em coma gera polêmica na França

Os médicos envolvidos no caso criticaram o vídeo alegando que o registro não contradiz o diagnóstico. Lambert, de 39 anos, está em estado vegetativo há sete anos.

Possíveis movimentos de homem em coma comove ativistas
Reprodução/BBC Brasil
Possíveis movimentos de homem em coma comove ativistas

A família dele se mantém dividida quanto a se ele deve ser mantido vivo.

Na sexta-feira passada, a Corte de Direitos Humanos Europeia (ECHR, na sigla em inglês) julgou que a decisão de interromper a alimentação intravenosa a Lambert não violava as leis de direitos humanos da Europa.

O caso pode ter repercussões legais em toda a Europa e gerou forte polêmica na França, onde a eutanásia é ilegal, embora médicos possam desligar os aparelhos que mantêm a sobrevida de pacientes em estado vegetativo em alguns casos, embasados por uma lei de 2005.

'Interação poderosa'

Na polêmica recente, o vídeo chamado "Vincent Lambert não está no fim de sua vida" foi publicado no YouTube e num site conservador católico.

Lambert é visto movendo seus olhos e boca enquanto sua mãe fala com ele pelo celular. Ela diz que o ama, horas depois do julgamento do ECHR.

O autor do vídeo, Emmanuel Guepin, que integra o comitê de apoio à causa, diz que as imagens também mostram uma interação "poderosa" entre Lambert e seu irmão.

Guepin argumenta que o registro demonstra que "as decisão tomada nos tribunais" não corresponde à condição verdadeira de Lambert.

'Tentativa de manipulação'

No entanto, o ex-médico de Lambert, Eric Kariger, descreveu o vídeo como "desrespeitoso" com o paciente, sua esposa e outros familiares.

Em entrevista à emissora francesa Europe1, Kariger disse que as imagens representavam uma tentativa de manipular as pessoas que não entendem completamente o diagnóstico do paciente.

O médico alega que Lambert não está reagindo ao ambiente, como o vídeo faz acreditar, e está em estado vegetativo sem qualquer esperança de recuperação.

Lambert tem sido mantido vivo por alimentação intravenosa em um hospital de Reims, no nordeste da França, depois que um acidente de motocicleta o deixou tetraplégico.

Sua esposa, Rachel, e alguns de seus irmãos e irmãs concordam com a recomendação médica de que sua vida deve ser encerrada.

Os médicos alegam que Lambert já mostrou indicações no ano passado de resistência ao tratamento. Rachel disse que seu marido nunca "gostaria de ser mantido nesse estado".

Mas os pais de Lambert ─ que são católicos fervorosos ─ e outros irmãos dizem que ele tem tido progresso e acreditam que ele somente precisa de um tratamento mais eficiente.

Bernard Devalois, responsável pela unidade de tratamento intensivo de um centro médico próximo a Paris, descreveu o vídeo divulgado na terça-feira como "obsceno", dizendo que as imagens não mostram nada diferente do que os médicos já haviam observado.

Em entrevista à emissora francesa BFMTV, ele disse que Lambert não estava reagindo às intervenções de sua família, e "se você ler para ele a lista telefônica, verá as mesmas imagens".

A mãe de Lambert e outros apoiadores da causa afirmaram que vão continuar a lutar, embora a decisão do ECHR tenha sido em última instância.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.