Tamanho do texto

Indicador no preservativo permite a identificação de micro-organismos causadores de doenças

Um grupo de adolescentes britânicos inventou uma camisinha que muda de cor quando detecta a presença de doenças sexualmente transmissíveis (DSTs), como sífilis  e clamídia . Com um indicador que mostra diferentes cores de acordo com o tipo de bactéria ou infecção encontrada, a invenção recebeu o nome de “S.T.EYE” (uma brincadeira com sigla em inglês STI, Sexually Transmited Infections).

Veja também: 40% dos jovens não usaram camisinha na última relação sexual, diz pesquisa

Reprodução/Teen Tech Awards
"S.T.EYE" permite a identificação de contaminação pela mudança de cor no presevertivo

Os estudantes da escola britânica Isaac Newton Academy Daanyaal Ali, 14, Muaz Nawaz, 13,  e Chirag Shah, 14, ganharam o prêmio da área de saúde no Teen Tech Awards em Londres pela invenção.

“Nós a criamos para ajudar o futuro de uma nova geração. Nós queríamos algo que detectasse essas doenças prejudiciais da maneira mais segura possível para que as pessoas pudessem tomar ação imediata na privacidade de suas casas, sem a necessidade de procedimentos médicos invasivos” afirma Daanyaal Ali sobre o objetivo da criação.

Como recompensa pelo prêmio, a escola concedeu o valor de 1.000 libras esterlinas (aproximadamente R$ 4,847) a cada estudante. Fora isso, receberam convites para uma recepção especial no Palácio Buckingham.

Outras invenções de destaque no Teen Tech incluíam um par de sapatos que cria, ao andar, energia suficiente para carregar dispositivos eletrônicos e uma ferramenta capaz de administrar o uso da água que poderia ser usado pelas comunidades rurais africanas para administrar o sistema de água.

Leia mais: 

Viagra associado a risco elevado de DST

135 mil brasileiros têm o vírus da aids e não sabem ser portadores

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.