Tamanho do texto

Por causa desse tempo sem respirar, criança foi diagnosticada com paralisia cerebral; pais não perderam a esperança de que ela vá se desenvolver

Lilia Fynn nasceu sem respirar. E ficou assim por 10 minutos, enquanto os médicos tentavam recussitá-la, até que o fôlego voltou aos seus pulmões. Os médicos disseram que ela milagrosamente voltou à vida. 


Lilia nasceu de parto normal depois de 17 horas de trabalho. Quando o parto havia sido completado, as enfermeiras que auxiliavam a mãe notaram que a bebê estava branca e sem fôlego de vida. Médicos de emergência então vieram para tentar ressucitar a garota.

Depois de 10 minutos, a menina voltou a respirar. Mas, por causa desse tempo, Lilia, hoje com um ano e oito meses, foi diagnosticada com paralisia cerebral. O cérebro de Lilia ficou muito tempo sem oxigênio, causando danos.  A família permaneceu no hospital por três semanas. Hoje, a menina faz fisioterapia e fonoaudiologia.

"Nos disseram que Lilia nunca vai poder andar. Eu respeito essa opinião, nós somos realistas que se ela não consegue sentar sozinha até agora, com um ano e oito meses, talvez isso seja mesmo verdade. Mas é tão difícil pensar dessa forma. Nós queremos dar a ela a melhor chance possível e esperança para que possa encontrar uma solução, apesar da sua condição", disse a mãe ao jornal britânico Daily Mail. 

Leia também:
Pais cuidam de bebê morto por 21 horas depois do parto
Surfe usado como terapia para jovens excepcionais

LEIA MAIS NOTÍCIAS DE SAÚDE