Tamanho do texto

Depois de morrer em decorrência de um tumor inoperável, a americana teve seus órgãos doados a outras crianças

A pequena americana Olivia Swedberg morreu menos de três meses depois de ser diagnosticada com um câncer terminal, sem chances de sobrevivência. A menina de apenas três anos tinha um tumor inoperável no cérebro.


Depois da morte de Olivia, a família da menina decidiu doar seus órgãos. O fígado dela foi transplantado para Lucas Goeller, que era vítima de uma grave doença e teria apenas alguma semanas de vida se não tivesse recebido um novo órgão.

Ao mesmo tempo, o intestino delgado da menina foi doado a Angelo Giorno para combater um transtorno digestivo. 

"Ela é uma menina maravilhosa e vamos sentir muito sua falta", declarou o pai de Olivia ao jornal britânico Daily Mail. Ele disse ainda que sua filha foi um milagre para as famílias das outras crianças. 

Leia também:
Células-tronco são esperança contra rejeição de transplante de órgãos no futuro
Bebê de 100 minutos é doador de órgãos mais jovem na Grã-Bretanha

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.