Tamanho do texto

Dean Wharmby consumia 10 mil calorias diárias, tomava sete latas de energéticos e já havia tomado anabolizantes; fatores podem ter contribuído para o surgimento da doença

Dean Wharmby, um britânico de 39 anos, perdeu a batalha contra um agressivo câncer  de fígado. Quando os médicos detectaram tumor no fígado do britânico, ele era tão grande que não havia como ser operado.

Quando já não havia mais esperanças, Wharmby tentou um tratamento natural, tomando vitaminas, remédios naturais, além de cortar carne e açúcar da dieta

Antes da doença Wharmby era fisiculturista e consumia 10 mil calorias diárias, divididas entre hamburgueres, pizzas e sanduíches de bacon, além de sete ou outo latas de energéticos. Ele admitiu já ter tomado esteroides por cerca de um ano, no início da carreira, para aumentar a massa muscular. Ele disse que todo mundo fazia isso na época. 

O câncer de Wharmby foi descoberto em 2010, e ele disse que a dieta altamente proteica e gordurosa adotada por cerca de cinco anos pode tê-lo levado à doença. 

"Foi porque eu estava tentando ser o maior possível", disse Wharmby ao jornal DailyMail, em março.

"Não posso afirmar com certeza que foi a dieta, mas coisas como energéticos podem contribuir. Carne vermelha e outras coisas que descobrimos que carregam muitas impurezas. Acho que foi uma combinação de tudo isso". 

Leia também:  Saiba o que pode prejudicar seu fígado

Wharmby foi fisiculturista por 20 anos antes de ficar doente. Depois de quatro anos de luta contra o câncer, ele perdeu a batalha.

Leia mais notícias de saúde

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.