Tamanho do texto

Alex Visker, de 19 anos, se alimenta por meio de uma sonda ligada ao estômago; médicos ainda não descobriram a causa da alergia a comida

Um garoto americano de 19 anos tem uma condição de saúde rara que os médicos ainda não descobriram o que é. Segundo o jornal britânico DailyMail, Alex Visker é alérgico a proteínas e até mesmo um mísero pedaço de qualquer alimento o deixa com dor  de estômago, fadiga, urticária, dor de cabeça  e náusea intensa por dias. Ele ainda pode ter um choque anafilático por causa da comida. Por conta disso, precisa ser alimentado por meio de uma sonda ligada diretamente no estômago.

"É difícil porque eu lembro como é o gosto da comida. A aparência do alimento e o cheiro, especialmente se for de alguma coisa que gosto, me deixa faminto. Mas eu não quero me sentir mal", , contou o jovem. 

"Estou com fome e quero comida o tempo todo, mas sei que não vale a pena. Ela não vale minha vida. E eu me sinto feliz por estar vivo".

Alex não come alimentos sólidos há quatro anos, mas a condição de saúde já havia se manifestado mais cedo, quando ele era ainda um bebê. A mãe de Alex disse que ele sofreu com dores musculares e nos ossos durante o período de crescimento. 

Os sintomas apresentados pelo garoto deixaram os médicos boquiabertos. Para melhorar os sintomas de Alex, os especialistas estão usando medicamentos para asma alérgica, antihistamínicos e outro para uma doença que deixa as pessoas mais propensas a coceiras, contrações intestinais e vermelhidão facial. Os medicamentos custam cerca de 7 mil dólares (R$ 23 mil) por mês.

Embora Alex tenha de receber alimento por meio de uma sonda, ele está começando a se sentir melhor, de acordo com o jornal. O jovem cozinha para os amigos e até leva a namorada para tomar sorvete. Segundo o DailyMail, o garoto não quer que ninguém se sinta mal ao comer na frente dele, só porque ele não pode fazer o mesmo.

"Eu lembro do gosto, e isso tem de ser suficiente", disse. 

Leia mais notícias de saúde

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.