Tamanho do texto

Medicamento não entra na corrente sanguínea, afastando os riscos de queda na taxa de açúcar do sangue

A insulina administrada por meio da cavidade nasal chega até a região do cérebro atingida por Alzheimer e demência senil com resultados duradores que melhoram a memória. Pesquisadores identificaram também que essa insulina não entra na corrente sanguínea.

Novo estudo mostra eficácia no uso da insulina para o tratamento dos problemas cognitivos ligados ao envelhecimento
Thinkstock/Getty Images
Novo estudo mostra eficácia no uso da insulina para o tratamento dos problemas cognitivos ligados ao envelhecimento

Quem demonstrou a eficácia no uso da insulina para o tratamento dos problemas cognitivos ligados ao envelhecimento foi o novo estudo conduzido por pesquisadores da University of Washington School of Medicine, da Veteran Administration Puget Sound e da Saint Louis University, nos Estados Unidos. 

Até agora, era notável o efeito da insulina sobre a memória, mas "havia poucas provas de como ela entrava no cérebro e como agia", diz William Banks, um dos autores do estudo.

Leia também:  Viver e esquecer é a realidade de 35 milhões de pessoas com Alzheimer

Os pesquisadores desse estudo, publicado no periódico  Journal of Alzheimer , utilizaram um modelo de ratos que, conforme o avanço da idade, desenvolveram problemas de aprendizado e memória. 

No teste de reconhecimento de objetos, depois de uma única dose de insulina intranasal, os ratos conseguiam relembrar os objetos vistos primeiro, diferentemente daqueles que não tinham recebido a substância.

Os pesquisadores também viram que a insulina não entra na corrente sanguínea, eliminando, assim, uma das principais preocupações da comunidade médica: a baixa dos níveis de açúcar. Além disso, doses repetidas aumentam a eficácia para a memória.

A doença de Alzheimer e outras formas similares atingem mais de 44 milhões de pessoas e é possível que esse número dobre até 2030. 

>> Veja como prevenir o Alzheimer:

LEIA MAIS NOTÍCIAS DE SAÚDE


    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.