Tamanho do texto

Dieta é parecida com Dukan, Atkins e Paleolítica; ingestão saudável de carboidratos é de 200 a 240 gramas por dia; sueca consumia apenas 20 gramas diárias e ainda amamentava

Uma mulher sueca teve um problema sério de saúde porque resolveu fazer uma dieta com poucos carboidratos enquanto amamentava. Ela, que tem 32 anos, foi internada trêmula, com náuseas, vômitos e palpitações. Quando questionada sobre a sua alimentação, ela disse que estava fazendo uma dieta com pouco carboidrato e muita gordura, para perder o peso que havia ganhado na gravidez. As informações são do jornal DailyMail.

Sem um consumo adequado de carboidratos, o corpo passa a consumir a gordura do organismo, mas isso gera um aumento da acidez do sangue que pode levar ao coma e até mesmo à morte
Getty Images
Sem um consumo adequado de carboidratos, o corpo passa a consumir a gordura do organismo, mas isso gera um aumento da acidez do sangue que pode levar ao coma e até mesmo à morte

A mãe estava comendo menos de 20 gramas de carboidratos por dia - o equivalente a uma batata média - enquanto amamentava o filho de 10 meses. De acordo com as recomendações, é preciso ingerir metade da quantidade diária de calorias em carboidratos, o equivalente a 200 ou 240 gramas de carboidratos para quem mantém uma dieta de duas mil calorias por dia. 

Ela disse que perdeu quatro quilos com a dieta, mas começou a se sentir muito mal. Os médicos diagnosticaram que ela estava com cetoacidose, uma condição rara que pode levar ao coma e matar, e é normalmente vista em pessoas com diabetes tipo 1. 

Magnus Ekelund, endocrinologista do Hospital Helsingborg, na Suécia, disse ao DailyMail que se a pessoa não come nenhum carboidrato, o corpo passa a consumir a gordura. "Isso é a cetose, a maioria de nós consegue lidar com isso por um tempo". 

No entanto, explica ele, a cetoacidose é uma forma mais severa de cetose. "Se você tem diabetes ou está com muita fome por causa da falta de carboidratos, o corpo queima muita gordura. A excreta de todo esse processo são cetonas, e cetonas são ácidas", disse ele.

Com isso, esse ácido cai no sangue, deixando-o ácido e pode levar ao coma ou até mesmo à morte. 

Para tratar o problema, a sueca teve de receber glicose na veia imediatamente e, no dia seguinte, recebeu doses baixas de insulina. Quando o sangue voltou ao normal, ela teve alta do hospital. 

Ekelund alerta que a amamentação exige muita energia, portanto fazer dietas com pouco carboidrato deixa o corpo 'faminto' e o organismo passa a consumir a própria gordura, causando todo esse problema. 

O médico diz que esse caso é preocupante por causa do aumento da popularidade de dietas com poucos carboidratos, como a paleolítica, Atkins e Dukan. 

Leia mais sobre saúde

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.