Tamanho do texto

Alimentos e terapias ajudam a fortalecer o sistema ósseo

Mais de 200 milhões de pessoas em todo o mundo sofrem de osteoporose. No Brasil, estima-se que cerca de 10 milhões — um a cada 17 brasileiros — também sofram com o mal, segundo dados da International Osteoporosis Foundation (IOF). A desinformação colabora para hábitos preventivos, como a manutenção de uma dieta equilibrada e rica em cálcio, prática de exercícios físicos, e a visita regular ao médico.

Exercícios aeróbicos de baixo impacto, como caminhadas, bicicleta e natação, ajudam a retardar os efeitos da osteoporose
O Dia
Exercícios aeróbicos de baixo impacto, como caminhadas, bicicleta e natação, ajudam a retardar os efeitos da osteoporose


“Uma a cada três mulheres com mais de 50 anos tem a doença e 75% dos diagnósticos são feitos somente após a primeira fratura. São seis casos de osteoporose feminina para cada caso de osteoporose masculina”, afirma o ortopedista Rubene Campos, da Santa Casa de Misericórdia do Rio. A doença é a principal causa de fratura de fêmur. Segundo a IOF, são mais de 9 milhões por ano no mundo, uma a cada três segundos.

Luzinete Nunes, bióloga de 65 anos, foi diagnosticada com osteopenia, uma perda gradual de massa óssea que pode levar à osteoporose. Isso aconteceu na menopausa, quando ela tinha 52 anos e desde então ela se trata com medicações. Mesmo com o acompanhamento, há cerca de dois anos foi diagnosticada com osteoporose. Hoje faço atividade física diariamente, tomo sol quando dá e não esqueço os remédios prescritos”.

Cuidados para a prevenção

No Dia Mundial da Osteoporose, lembrado nesta terça-feira (20), José Ribamar Moreno, diretor médico do Centro de Tratamento Intensivo da Dor (CTIDor), recomenda algumas atitudes para a prevenção. Uma delas é tomar sol pelo menos 30 minutos por dia, até 10h e após as 16h.

“O organismo humano obtém através dos raios ultravioleta B a vitamina D, que melhora a absorção do cálcio, fortalecendo os ossos. A exposição solar é a melhor forma de se obter a vitamina D, indispensável para a absorção do cálcio pelo organismo”, explica. A exposição entre 15 e 20 minutos por dia é suficiente.

Fazer exercícios aeróbico regularmente, como caminhadas, esteira ou natação de 25 a 40 minutos, em dias alternados, além de exercícios de musculação com carga leve a moderada também ajuda a melhorar o metabolismo do osso e retarda a perda óssea. Ele também aconselha ingerir alimentos riscos em cálcio, como brócolis, sardinha, espinafre, leite e seus derivados.

“É necessário fazer exame preventivo de densidade mineral óssea a partir dos 45 anos nos pacientes derisco, como mulheres em menopausa precoce ou que fizeram cirurgia para retirada dos ovários, pessoas que tomam medicamentos que reduzem a massa óssea e pacientes que tenham parentes diretos com história de osteoporose e complicações da doença”.

Fonte:  O Dia

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.